Angola é, desde sábado, membro da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), decisão resultante da Assembleia-geral do organismo, realizada no principado de Mónaco.

A eleição foi por unanimidade, informou neste domingo, à Rádio 5, o presidente da Federação Angolana de Desportos Motorizados (FADM), Ramiro Barreira, que fez parte do “conclave”.

O responsável afirmou que o facto permitirá a criação de novas valências para a modalidade no país, com destaque para a melhoria e criação de circuitos, formação de fiscais e de comissários.

O país solicitou a entrada na FIM em Dezembro de 2018 durante o Congresso do órgão reitor decorrido em Sochi, na Rússia.

A entrada na FIM vai permitir que os pilotos nacionais corram em pistas internacionais com a licença desportiva angolana e exibindo a bandeira nacional, contrariamente ao que tem acontecido.

Por exemplo, o atleta Rui Andrade, da Drivex, corre com a licença desportiva portuguesa já há alguns anos por não ter a do seu país, situação que já pode ser invertida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.