Ninguém ficou indiferente ao desaguizado entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel no Grande Pérmio do Azerbaijão, que teve lugar em Baku, no último domingo.

Numa das quatro paragens para a entrada do ´safety car` em pista, o inglês da Mercedes travou bruscamente (liderava a corrida nessa altura). Vettel, que seguia atrás, acabou por embater na traseira do Mercedes. Insatisfeito, o alemão acelerou, colocou-se ao lado do britânico e projetou o Ferrari em direção ao monolugar do rival. O piloto da Ferrari acabou por sofrer 10 segundos de penalização.

Niki Lauda, antigo piloto e diretor da Mercedes, admitiu ter receio de que o mau ambiente entre os dois candidatos do título mundial acabe em violência física.

“Qualquer dia Hamilton vai bater-lhe. Não com o carro, mas com o punho. Se eu fosse o Hamilton, iria falar com o Sebastian e perguntar-lhe o que se passa com ele”, disse o ex-piloto austríaco, em declarações reproduzidas pelo ‘Mirror’.

Questionado se o incidente entre ambos pode prejudicar a reputação de Vettel, Lauda não tem dúvidas: “Claro. Ele prejudicou-se muito.”

“Ir para o lado dele e acertá-lo de propósito, nunca vi nada assim. Não percebo porque ele fez isso. Vettel é uma pessoa decente, normalmente. Mas isto não dá para perceber. Ele é louco”, acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.