O francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta), que hoje conquistou hoje o título mundial de ralis pela quinta vez consecutiva, admitiu que a temporada foi complicada, mas teve um final feliz.

“Este ano foi complicado, mas teve um final incrível”, afirmou Ogier, visivelmente emocionado, depois de ter garantido o título com um terceiro lugar no Rali do País de Gales, 12.ª e penúltima prova do campeonato mundial.

Sébastien Ogier, que este ano representa a equipa privada M-Sport, depois da retirada inesperada da Volkswagen no final da época passada, admitiu que o título, que o coloca como o segundo piloto mais vitorioso na categoria, tem um significado especial.

“Um título significa sempre muito, mas este chega após um ano difícil”, disse, acrescentando: “Este ano foi um pouco como este fim de semana: pouco tranquilo”.

O terceiro lugar obtido hoje no País de Gales, atrás do galês e companheiro de equipa Elfyn Evans e de Thierry Neuville (Hyundai i20), segundo, permitiu a Ogier assegurar a conquista do título a uma prova do fim do campeonato de 2017, ao deixar o belga a irrecuperáveis 32 pontos.

O quinto título de Ogier é o seu primeiro grande êxito na M-Sport, equipada pela Ford, depois de ter vencido os quatro Mundiais anteriores ao volante de um Volkswagen.

Malcom Wilson, diretor da M-Sport, destacou as qualidades de Ogier e do seu copiloto, Julien Ingrassia: “Assim que chegaram foi fácil perceber porque tinham quatro títulos mundiais, são extremamente profissionais e dedicados ao trabalho”.

Ogier, que no palmarés do Mundial de ralis é apenas superado pelo seu compatriota Sébastien Loeb, nove vezes campeão, tornou-se no terceiro piloto a alcançar o título com carros de diferentes marcas, depois do finlandês Juha Kankkunen e do alemão Walter Röhri.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.