O belga Thierry Neuville (Hyundai i20) defende hoje a liderança da 52.ª edição do Rali de Portugal e prossegue o ‘assalto’ ao Mundial de pilotos, após o abandono do francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta).

Neuville, segundo, a 10 pontos do pentacampeão do mundo e do Rali de Portugal, inicia o terceiro dia da prova com 17,7 segundos de vantagem sobre o britânico Elfyn Evans (Ford Fiesta), segundo classificado, e 24,3 sobre o espanhol e seu companheiro de equipa Dani Sordo, terceiro.

O belga parte para as seis especiais de hoje com uma diferença de pouco mais de meio minuto sobre os finlandeses Teemu Suninen (Ford Fiesta) e Esapekka Lappi (Toyota Yaris) e o norueguês Mads Ostberg (Citroën C3), os pilotos que completam o ‘top-6’.

Apesar dos abandonos no Alto Minho, na véspera, Ogier, o finlandês Jari-Mati Latvala (Toyota Yaris) e o norueguês Andreas Mikkelsen (Hyundai i20) devem alinhar em Rali 2, na tentativa de virem a minimizar danos na ‘power stage’, no domingo, ao contrário dos do estónio Ott Tänak (Toyota Yaris) e do neozelandês Hayden Paddon (Hyundai i20), que estão definitivamente fora da competição.

O início da secção matinal está marcado para as 09:08, com a primeira passagem no percurso Vieira do Minho (17,5 km), seguindo-se o troço de Cabeceiras de Basto (22,22 km) e a tradicional especial de Amarante (37,6 km), mais uma vez a mais longa do rali.

Armindo Araújo (Hyundai i20 R5), três vezes vencedor do rali e 17.º classificado, defende o estatuto de português mais rápido, numa liderança ‘presa’ por 9,3 segundos sobre que Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), que ocupa o 18.º posto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.