O piloto italiano Valentino Rossi (Yamaha) reiterou hoje a sua suspeita acerca da existência de uma concertação entre espanhóis no Mundial de MotoGP, afirmando que Marc Márquez (Honda) funcionou como “guarda-costas” de Jorge Lorenzo (Yamaha).

Lorenzo conquistou hoje o terceiro título de campeão mundial de MotoGP, ao vencer o Grande Prémio da Comunidade Valenciana, tendo partido em primeiro da 18.ª e última prova do mundial de velocidade, a sete pontos de Rossi (que partiu em último, por castigo).

“Na segunda parte da temporada, Lorenzo esteve muito bem, mas desde Phillip Island aconteceu algo estranho. O comportamento de [Marc] Marquéz foi muito estranho. Tive de combater dois pilotos. Hoje todos puderam ver qual era o seu plano”, disse, em declarações ao canal de televisão Sky.

Para Rossi, Marquéz limitou-se hoje a “aguentar atrás de Lorenzo”, manifestando-se surpreso por a Honda aceitar este comportamento por parte de um dos seus pilotos.

“Lorenzo é um grande piloto e teria sido ótimo que o Mundial fosse jogado no circuito. Creio que, assim, nem ele próprio está satisfeito”, disse.

Para o desfecho do campeonato acabou por ser determinante a penúltima etapa, no circuito de Sepang, na Malásia, onde Rossi e o espanhol Marc Márquez, bicampeão mundial, foram protagonistas de um episódio que resultou em duas das semanas mais polémicas do MotoGP, a anteceder o Grande Prémio da Comunidade Valenciana, 18.ª e última prova do calendário.

Os dois envolveram-se num ‘duro’ duelo pela terceira posição da corrida, e, após algumas trocas de posições e ultrapassagens mais ou menos ‘arriscadas’, tocaram-se, com resultado negativo para Márquez, que acabou por cair.

Lorenzo, colega de Rossi na Yamaha, terminou em segundo e encurtou a diferença no Mundial para sete pontos (312 contra 305).

No final da prova, a direção da corrida puniu o piloto da Yamaha com três pontos de penalização na licença por ter tocado com o pé na moto de Márquez (Honda), mas optou por manter os 16 pontos de Rossi correspondentes ao terceiro lugar.

Rossi, que já tinha um ponto de penalização na licença, por condução irresponsável no Grande Prémio de São Marino, viu aumentar o número de pontos de penalização na sequência do incidente com o espanhol e foi punido com a saída do último lugar no circuito Ricardo Tormo, em Valência.

O italiano ainda interpôs recurso no Tribunal Arbitral do Desporto para pedir a anulação ou redução da pena, mas foi-lhe negado provimento na quinta-feira.

Para repetir os triunfos no Mundial em 2010 e 2012, Lorenzo tinha de vencer em Valência e esperar que o italiano ficasse abaixo do segundo lugar. Caso Lorenzo fosse segundo e Rossi terceiro o título ia para o italiano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.