O 'motard' português Paulo Gonçalves (Honda) sofreu hoje uma pequena avaria no travão dianteiro da sua CRF450 Rally e atrasou-se alguns segundos no prólogo do rali de Marrocos, do mundial de todo-o-terreno.

O piloto de Esposende terminou a pequena especial, de apenas dez quilómetros, em Fés, no sétimo lugar, a 21 segundos do mais rápido das motas, o australiano Toby Price (KTM). O outro português em prova, Mário Patrão (KTM), foi 13.º, a 34 segundos do vencedor.

"O prólogo correu relativamente bem. Tive apenas um pequeno problema a dois quilómetros do final, que me custou alguns segundos, mas nada de importante", começou por explicar à agência Lusa Paulo Gonçalves. O piloto da Honda tem consciência que "o rali a sério começa amanhã [sexta-feira]" e, por isso, vai "tentar fazer uma corrida sem cometer erros e fazer um bom resultado", ainda que "a prioridade é não ter qualquer problema físico", pois este é "o último teste antes do Dakar 2019".

Esta é a derradeira jornada do campeonato do mundo de todo-o-terreno e o português ocupa, à partida desta prova, o terceiro lugar, com 57 pontos, a 12 do líder, o chileno Pablo Quintanilha, que hoje foi oitavo, a três segundos do piloto luso, que ainda sonha com o título, apesar de consciente das dificuldades. "Matematicamente ainda é possível, mas não dependo apenas de mim. Por isso, o foco é fazer uma corrida isenta de erros e estar atento aos detalhes", concluiu.

Nos automóveis, o português Alejandro Martins, em Toyota, foi 11.º classificado, a 1.46 minutos do mais rápido, o catari Nasser Al-Attiya, em Toyota.

Um dos grandes motivos de interesse desta corrida em Marrocos é a estreia das novas 'armas' da Mini. O espanhol Carlos Sainz foi o sexto mais rápido do dia, gastando mais 42 segundos do que Al-Attiyah, com o francês Cyril Després logo atrás, dois segundos mais lento.

Já na classe SSV, incluída na categoria das motas, o terceiro lugar da jornada fez do ex-campeão nacional de râguebi, Luís Portela de Morais, o melhor representante português, a apenas sete segundos do líder, o francês Stéphane Peterhansel.

Em quarto lugar ficou o ex-treinador de futebol André Villas Boas, com Filipe Cameirinho em quinto e Miguel Jordão em sexto. O empresário Mário Ferreira regressou ao deserto, depois de ter participado no Dakar de 2006, e foi nono.

A primeira etapa do rali de Marrocos disputa-se na sexta-feira, entre Fés e Erfoud, com um total de 489 quilómetros, 167 dos quais cronometrados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.