Mark Webber, antigo colega de Sebastian Vettel na Red Bull considera que o tempo do alemão na Ferrari teve as suas consequências físicas e mentais no piloto que abandona a 'scuderia' no final da temporada.

O ex-piloto australiano considera que Vettel deu tudo para que a equipa regressasse à conquista de campeonatos e indica a diferença de culturas como um dos fatores fulcrais para a passagem menos bem conseguida pela equipa italiana.

"O Sebastian fez o que melhor que podia para colocar a equipa no caminho de voltar a vencer o campeonato nos últimos anos, mas isso não aconteceu. Acho que a confiança dele foi abalada devido à falta de compatibilidade com a cultura italiana, isso é importante. Ali não podes ter a forma germânica de fazer as coisas, uma forma quase robótica", disse, em entrevista ao podcast 'At The Controls'.

Webber realçou ainda a forma como o 'casamento' com a Ferrari o afetou. Vettel têm 32 anos, mas segundo o ex-colega a passagem pelos carros vermelhos dos italianos colocou-lhe uns anos em cima. O australiano afirmou ainda que dificilmente vê Seb na Renault e considera provável que o alemão coloque a carreira em pausa.

"Ele não parece ter a idade que tem, já lhe disse isso várias vezes. Ele fez um caminho longo, difícil, mas penso que está desgastado. (...)Eu não sei onde ele pode ir parar, não sei mesmo.  Na sua carreira esteve sempre a lutar por pódios e vitórias, mesmo na Toro Rosso. Não o vejo de todo na Renault, vejo-o a descansar até ao final de 2021. Ele é muito novo para parar, mas também começou muito cedo. Não ficaria surpreendido se ele parasse, mas não gostaria que terminasse já a carreira", concluiu.

Depois de cinco anos na Ferrari, Vettel vai deixar a equipa no final da presente temporada. Carlos Sainz vai ser o substituto do alemão na equipa italiana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.