O presidente da Federação Portuguesa de Natação (FPN), António José Silva, realçou hoje a importância da parceria técnica e comercial estabelecida pelo organismo com a marca de equipamentos desportivos do antigo campeão olímpico Michael Phelps.

"Não foi fácil chegarmos a este acordo, mas é uma grande honra sermos a primeira federação de natação a ter este patrocínio", afirmou o líder federativo, que explicou que a parceria é válida por quatro anos e que o acordo relativo a todas as disciplinas "envolve tudo o que é apoio ao nível dos equipamentos desportivos e apoio numerário à FPN".

Por outro lado, a Federação vai desempenhar também um papel ativo a nível comercial na representação da marca do antigo nadador norte-americano em Portugal, tendo António José Silva revelado a expectativa de trazer o recordista de medalhas olímpicas ao país para motivar os atletas portugueses antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio2020, em agosto.

"É um fator motivacional e agregador muito importante e esse foi também um dos motivos que nos levou a este acordo: ter a figura do Michael Phelps. O ideal é acontecer antes dos Jogos e é isso que vamos fazer: vamos reunir-nos com ele em março, tentar que haja abertura - e eu sei que há essa abertura para que ele venha cá antes dos Jogos -, e que esse encontro seja uma mais-valia para os nossos atletas", sublinhou.

Os equipamentos já começaram a ser testados por alguns nadadores, embora os atletas de elite não estejam obrigados a competir com os novos fatos, "caso não se sintam confortáveis ou não vejam melhorias nos seus desempenhos", segundo o presidente da FPN.

Aléxis Santos é um dos nadadores portugueses que já obteve mínimos para Tóquio2020 e que, inclusivamente, testou um dos novos equipamentos. Apesar de uma primeira impressão positiva, o nadador de 27 anos confessou a necessidade de tempo.

"Obviamente que não é de um dia para o outro que vou começar a usar, ainda por cima em ano olímpico, mas as primeiras sensações foram boas. Este fato é um pouco mais apertado do que o da outra marca que estou acostumado a usar. É algo que requer algum treino e algumas provas para experimentar em competição", observou.

Já sobre a perspetiva de a comitiva portuguesa da natação olímpica poder estar com Michael Phelps, Aléxis Santos admitiu que para ele não seria uma novidade, uma vez que já esteve em competições quando o norte-americano ainda estava no ativo, mas que tal seria marcante para os atletas mais novos.

"Não penso muito nisso, mas claro que seria um momento algo histórico. Já estive com ele em competições, mas para os mais jovens claro que seria um ‘boost' de motivação", sentenciou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.