O selecionador de râguebi de Portugal, Patrice Lagisquet, disse hoje que os ‘lobos’ jamais teriam conseguido vencer o Canadá com 21 jogadores nascidos no país sem a equipa Lusitanos XV a disputar a Super Cup europeia.

O técnico francês acumula o cargo de selecionador com o comando da equipa de franquia da responsabilidade da Federação Portuguesa de Râguebi e, na antevisão da final de sábado, frente aos Black Lion, não teve dúvidas em enaltecer o papel da equipa no desenvolvimento do râguebi nacional.

“Tenho a certeza que foi por termos esta competição que, em novembro, ganhámos ao Canadá com 21 jogadores nascidos em Portugal. Sem os Lusitanos XV, o nível da seleção não seria tão bom”, afirmou o técnico em conferência de imprensa, no Centro de Alto Rendimento de râguebi, no Jamor.

Os Lusitanos XV disputam a Rugby Europe Super Cup recorrendo exclusivamente a jogadores do campeonato português elegíveis para representar a seleção portuguesa.

Isso permite, conforme explicou também o ‘capitão’ dos Lusitanos XV, João Belo, que “jogadores que teriam dificuldade para ter uma oportunidade na seleção possam mostrar-se contra grandes equipas, como os Black Lion”, franquia georgiana que vai disputar a final com os portugueses.

Lagisquet, por sua vez, reforçou que os Lusitanos XV lhe permitem fazer “um trabalho que não pode ser feito durante os jogos da seleção” e “descobrir alguns novos talentos para a equipa nacional”.

Os Lusitanos XV chegaram à final da Super Cup com um percurso 100% vitorioso, após vencerem todos os seis jogos da Conferência Este e também as meias-finais, frente aos Tel-Aviv Heat, por 42-26.

Por terem sido a equipa com melhor desempenho na fase de grupos, ganharam o direito a disputar a final em casa, conforme determinação da Rugby Europe, mas pela frente têm, agora, talvez o mais difícil de todos os adversários.

“Quando se chega a uma final, temos de pensar em ganhar. Mas o problema é que vamos jogar contra os Black Lion, uma equipa muito forte e muito próxima da seleção nacional georgiana”, analisou o treinador.

No entanto, Lagisquet não quis equiparar o confronto de sábado a uma luta de ‘David contra Golias’ porque, “se dissesse isso aos jogadores, eles nunca iriam acreditar que podem ganhar”, mas também desvalorizou o empate obtido pela seleção portuguesa, este ano, na Geórgia, seleção que é a base dos Black Lion.

“São contextos diferentes. No jogo das seleções, tivemos mais tempo para nos prepararmos, a Geórgia tinha vários jogadores de fora, uns lesionados, outros com covid-19, outros ficaram nos seus clubes, e também tivemos um pouco de sorte, podíamos ter perdido na última bola. É diferente”, recordou.

Os Lusitanos XV defrontam a equipa georgiana Black Lion no sábado, na final da Rugby Europe Super Cup, que tem início marcado para as 15:00 no Campo A do CAR do Jamor, em Oeiras.

A Rugby Europe Super Cup é uma nova competição europeia lançada esta época pelo organismo que superintende o râguebi europeu, com exceção dos países do torneio das Seis Nações, com o objetivo de desenvolver a modalidade nas nações emergentes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.