O vento forte e as poucas ondas não impediram, esta segunda-feira, o regresso ao mar da Figueira da Foz de alguns surfistas, mas também de pescadores lúdicos, que estavam afastados da atividade devido à pandemia da COVID-19.

A norte ou a sul da cidade da Figueira da Foz, no litoral do distrito de Coimbra, não faltam areais para a prática de desportos de ondas, com características diversas entre si, conforme a ondulação e direção do vento. E se as previsões desta segunda-feira, no primeiro dia em que desportos individuais voltaram a ser permitidos, faziam antever a possibilidade de boas condições para o surf, o vento forte acabou por trocar as voltas aos praticantes da modalidade, que, apesar das poucas ondas e depois de mais de um mês afastados do mar, voltaram à água.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.