O presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), João Aranha, afirmou hoje que as novas datas para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, face à pandemia da covid-19, permitem “trabalhar e ter tempo” para reformular o calendário internacional.

“É uma alteração que nos permite trabalhar e ter tempo. Esperamos que esta crise mundial que alastra o mundo se resolva rapidamente. Estamos contentes com a decisão e esperamos que tudo se resolva até lá”, disse à agência Lusa o dirigente federativo.

Embora considerando que, no caso do surf, as datas estipuladas não são “a melhor época no Japão em termos de ondulação”, João Aranha sublinhou que é um problema que afeta todas as modalidades e que, por isso, a decisão “foi a mais correta possível”.

A entidade que rege o surf em Portugal espera agora que a Associação Internacional de Surf (ISA, na sigla inglesa) tome “decisões mais conscientes”, após as críticas por não ter sido interrompido o campeonato do mundo de surf adaptado, nos Estados Unidos, do qual a seleção portuguesa se retirou em 12 de março.

“Havendo um ano, a federação mundial tem tempo para tomar decisões mais conscientes e ganhar tempo na qualificação olímpica. Tenho a certeza de que vão adiar o campeonato [do mundo], que era agora para junho, e vão escolher outra data. Não há razão para agora virem inventar novas regras, há tempo suficiente para resolver o problema”, disse.

O campeonato, que estava previsto de 09 a 17 de maio e, entretanto, foi adiado para 06 a 14 de junho, está previsto para El Salvador e serve de última prova de qualificação olímpica, na qual faltam apurar as últimas cinco vagas masculinas e sete femininas.

Os Jogos Olímpicos estavam marcados para decorrerem entre 24 de julho e 09 de agosto de 2020, mas foram adiados em um ano, devido à pandemia de covid-19.

O anúncio foi feito por Yoshiro Mori, pouco depois de uma conversa telefónica com o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

Esta decisão inédita foi tomada "para salvaguardar a saúde dos atletas, de toda a gente envolvida nos Jogos Olímpicos e da comunidade internacional".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 142.300 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 140 mortes e 6.408 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.