A 98.ª edição da prova mais importante do calendário tenístico nacional arrancou no domingo, nos campos cobertos de piso rápido do Complexo de Ténis do Jamor, em Oeiras, e esta segunda-feira conheceu a composição dos quadros principais de singulares.

Vencedora das últimas cinco edições (2017-2021), a vimaranense Francisca Jorge será a grande candidata ao título no quadro principal feminino, em que defende o estatuto de primeira cabeça de série fruto do 302.º lugar no ranking WTA.

Aos 22 anos, a melhor tenista portuguesa da atualidade já é uma das jogadoras mais tituladas da história do torneio e pode tornar-se apenas na terceira a conquistar seis títulos consecutivos.

Uma das três jogadoras que ainda estão à sua frente nesse capítulo é precisamente a figura mais surpreendente do elenco de 2022: Sofia Prazeres, que 24 anos após a última participação está de regresso a um torneio que dominou de forma histórica com nove títulos seguidos entre 1990 e 1998.

Na primeira ronda do quadro principal, a tenista de 48 anos vai enfrentar Analu Freitas, de 15 anos. E a vencedora desse encontro discutirá a segunda eliminatória (equivalente aos oitavos de final) com Matilde Jorge.

A jovem vimaranense completa o trio de jogadoras que sabem o que é disputar a final de singulares do Campeonato Nacional Absoluto (foi finalista em 2019 e 2021), mas ainda procura o primeiro título, com a ambição de o juntar aos quatro de pares que já possui — três em pares femininos ao lado da irmã (2018, 2019 e 2021) e um em pares mistos com José Ricardo Nunes (2018).

No quadro principal masculino, a ausência do bicampeão em título, Nuno Borges (a preparar as últimas duas semanas de competição do ano no circuito internacional), faz de Fred Gil o único ex-vencedor entre os inscritos.

O ex-número 62 do ranking ATP detém quatro títulos de campeão (2004, 2006, 2007 e 2019) e no Jamor procurará juntar-se a José Vilela e um dos seus ex-treinadores, João Cunha e Silva, no último lugar do pódio de mais titulados na competição masculina. Atualmente com 37 anos, Gil é tricampeão nacional de veteranos e também o atual campeão mundial no escalão de +35, um troféu conquistado este ano no Jamor, mas em terra batida.

O primeiro cabeça de série será Jaime Faria, jovem de 19 anos que tem estado em grande plano no circuito ITF e que este mês celebrou a subida ao melhor ranking da carreira, o 596.º lugar, fruto da conquista de um segundo título de singulares em 2022 (primeiro em Castelo Branco e mais recentemente em Monastir).

É nessa metade do quadro que está Gil, enquanto Gonçalo Falcão, o outro jogador do elenco a ter o nome no historial de finalistas (perdeu a final de 2011 para João Domingues no Open Village Sports de Guimarães) surge na metade inferior do quadro, que tem Henrique Rocha como segundo pré-designado. O maiato de 18 anos, bicampeão nacional do escalão, também está no melhor ranking da carreira (872.º) — e, a título de curiosidade, poderá estrear-se contra o irmão, Francisco Rocha, que defronta um qualifier.

Para além da realização do sorteio dos quadros principais de singulares, a jornada desta segunda-feira também serviu de palco à conclusão do qualifying masculino.

João Dinis Silva, Tiago Filipe Silva, Nuno Pinheiro, Guilherme Cruz, Mathieu Dussaubat, João Martins, David Gomes e Dino Molokova conseguiram ultrapassar a segunda eliminatória e completaram o elenco do quadro principal masculino, que é composto por 24 jogadores (com byes na primeira ronda para os oito cabeças de série.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.