As seleções da Espanha, Itália e Sérvia iniciaram hoje com triunfos a sua participação nas Finais da Taça Davis, que estão a decorrer em simultâneo em três cidades europeias, Madrid, Innsbruck, na Áustria, e Turim, em Itália.

A jogar em casa, a Espanha iniciou a defesa do título conquistado em 2019, em Madrid, com uma vitória sobre a modesta formação do Equador, após o veterano Feliciano Lopez (106.º ATP), de 40 anos, bater Roberto Quiroz (291.º ATP), com duplo 6-3, oferecendo assim o primeiro ponto à sua equipa.

O segundo ponto foi confirmado por Pablo Carreño-Busta, que ainda viu o seu estatuto de número 20 mundial afrontado por Emílio Gomez (149.º ATP), e só conseguiu levar a melhor ao cabo de três partidas, com os parciais de 5-7, 6-3 e 7-6 (7-5).

O encontro de pares, por sua vez, também só ficou decidido no ‘tie-break’ da terceira partida, quando Carreño-Busta e Marcel Granollers foram capazes de se impor a Gonzalo Escobar e Diego Hidalgo, 6-4, 6-7 (5-7) e 7-6 (7-2), em duas horas e 44 minutos.

Igualmente a jogar em casa, mas no Pala Alpitour de Turim, a seleção italiana viu o seu sucesso inicial assente nos estreantes Lorenzo Sonego e Jannik Sinner, que não cederam qualquer ‘set’ nos respetivos encontros.

Atualmente no 27.º lugar do ‘ranking’ mundial, Sonego ainda viu o gigante de 2,11 metros, Reilly Opelka (26.º), disparar 12 ases, mas um único ‘break’ no oitavo jogo da primeira partida acabou por fazer a diferença no resultado final de 6-3 e 7-6 (7-4), fechado ao fim de uma hora e 29 minutos.

Já o número 10 mundial, Sinner, fez valer também a sua juventude de 20 anos e o seu bom momento de forma diante o veterano John Isner, de 36 anos, superando o 24.º classificado mundial, por 6-2 e 6-0, em apenas 62 minutos.

O ponto de honra da equipa norte-americana, recordista com 32 títulos na competição secular, surgiu no encontro de pares, com Rajeev Ram e Jack Sock a derrotarem Fabio Fognini e Lorenzo Musetti, pelos parciais de 7-6 (7-5) e 6-2.

Em Innsbruck, e de novo com uma eliminatória jogada à porta fechada, devido ao confinamento que se vai vivendo em território austríaco, a Sérvia iniciou a sua caminhada rumo a um eventual segundo título com uma vitória sobre a equipa da casa.

Dusan Lajovic (33.º ATP) precisou de duas horas e 42 minutos para levar de vencida o esquerdino Gerard Melzer, por 7-6(7-5), 3-6 e 7-5, enquanto Novak Djokovic, líder da hierarquia ATP Tour, gastou apenas 58 minutos para derrotar o austríaco Dennis Novak, por 6-3 e 6-2.

Depois de Djokovic quebrar por três vezes o serviço do adversário e ter perdido apenas seis pontos no seu saque ao longo de todo o encontro, e já com a eliminatória resolvida, a Sérvia, campeã de 2010, somou o terceiro ponto, graças ao triunfo de Nikola Cacic e Filip Krajinovic sobre Oliver Marach e Philipp Oswald em três renhidos ‘sets’, por 7-6 (7-4), 4-6 e 6-3.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.