Pelo segundo ano consecutivo, Roger Federer  foi eliminado nos quartos-de-final do torneio de Wimbledon, onde já conquistou seis títulos. Desta vez, a culpa foi do francês Jo-Wilfried Tsonga (19.º)que assinou uma exibição fantástica para infligir a primeira derrota em torneios do Grand Slam ao suíço, depois de este ganhar os dois sets iniciais: 3-6, 6-7 (3/7), 6-4, 6-4 e 6-4.
 
«Foi espantoso, joguei de forma inacreditável, tudo entrava. É uma loucura. Ele é o melhor tenista do mundo e estou muito contente por vencê-lo, especialmente, em relva, uma das suas melhores superfícies», reconheceu Tsonga (19.º ATP), logo à saída do “court” central.
 
O primeiro francês a derrotar Federer desde 2001 – quando Arnaud Clément venceu o suíço no Open da Austrália – só perdeu uma vez o serviço e logo no segundo jogo do set inicial, não tendo enfrentado qualquer “break-point” até ao fim.
 
«Jo jogou muito bem do princípio ao fim. Com excepção do resultado, muitas, muitas coisas correram bem. Estou contente com a minha prestação e é difícil sair do torneio assim. Pelo menos, foi preciso uma exibição especial para me baterem», disse Federer, detentor de 16 títulos do Grand Slam , o último dos quais no Open da Austrália de 2010.
 
Nas meias-finais, Tsonga defronta o sérvio Novak Djokovic que eliminou o australiano de 18 anos, vindo do "qualifying", Bernard Tomic, por 6-2, 3-6, 6-3 e 7-5.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.