Os tenistas Andy Murray e Roger Federer continuam em 'rota de colisão' rumo à final mais aguardada de Wimbledon, depois de hoje terem garantido o apuramento para os quartos de final, tal como Serena Williams.

Enquanto o homem da casa e número dois mundial 'estilhaçou' os sonhos do australiano Nick Kyrgios, impondo-se facilmente por 7-5, 6-1 e 6-4, para somar a sua 50.ª vitória na relva do All England Club, Federer alcançou o recorde histórico de Martina Navratilova no seu triunfo por 6-2, 6-3 e 7-5 sobre o norte-americano Steve Johnson.

“Não era esse o meu objetivo principal”, disse o número três mundial, que procura em Wimbledon o seu 18.º título do ‘Grand Slam’ e o oitavo no torneio londrino, referindo-se à vitória número 306 em 'majors'.

Na sua 14.ª presença nos quartos de final do terceiro ‘Grand Slam’ da época, o suíço vai defrontar o croata Marin Cilic, com quem tem contas a ajustar.

“Ele arrasou-me no ‘court’ no Open dos Estados Unidos [em 2014]. Sei no que me estou a meter”, disse Federer sobre o seu próximo adversário, que hoje beneficiou da desistência do japonês Kei Nishikori, quinto cabeça de série.

Cilic não foi o único a beneficiar do abandono do rival para avançar para os ‘quartos’, já que também o francês Jo-Wilfried Tsonga viu o compatriota Richard Gasquet desistir por problemas lombares, ainda no primeiro ‘set’, e vai tentar apurar-se pela terceira vez para as meias-finais de Wimbledon, frente ao ultra favorito Andy Murray.

O 12.º cabeça de série não estará sozinho na representação francesa nos últimos quatro encontros do quadro masculino, pois Lucas Pouille continua a surpreender nos ‘courts’ do All England Club, tendo-se qualificado hoje, pela primeira vez na sua carreira, para uns quartos de final de um torneio do ‘Grand Slam’, ao bater o australiano Bernard Tomic, por 6-4, 4-6, 3-6, 6-4 e 10-8, numa maratona de quase três horas.

Maratonas, mas do lado feminino, foram os encontros que opuseram Dominika Cibulkova a Agnieszka Radwanska – a eslovaca afastou a polaca, terceira cabeça de série, com os parciais de 6-3, 5-7 e 9-7, e poderá mesmo ter de vir a adiar o seu casamento, marcado para sábado -, e Elena Vesnina a Ekaterina Makarova.

Companheiras de pares e amigas, Vesnina e Makarova travaram um emocionante duelo, com a primeira a derrotar aquela que foi a sua dama de honor, por 5-7, 6-1 e 9-7.

No entanto, foi o nome Williams que mais soou no quadro feminino na jornada de hoje: primeiro, foi Serena a avançar para os quartos de final, com uma vitória surpreendentemente simples frente à russa Svetlana Kuznetsova (7-5 e 6-0), depois, foi a vez de Venus se converter na jogadora mais velha a chegar a esta ronda nos últimos 22 anos.

Aos 36 anos, a mais velha das irmãs norte-americanas venceu a espanhola Carla Suarez Navarro, por 7-6 (7-3) e 6-4, e vai estar entre as últimas oito jogadores de Wimbledon pela 12.ª vez na sua carreira e pela primeira vez desde 2010.

Venus, finalista na relva londrina em oito ocasiões, está à procura da sua primeira presença na meia-final de um ‘Grand Slam’ desde o Open dos Estados Unidos de 2010.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.