O suíço Roger Federer regressou hoje ao primeiro lugar do ténis mundial, tornando-se o tenista mais idoso da história da modalidade a alcançar o topo do 'ranking', depois de vencer nos quartos de final do torneio de Roterdão.

O jogador suíço venceu hoje o holandês Robin Haase por 4-6, 6-1 e 6-1, destronando Rafael Nadal como número um do mundo, mais de cinco anos depois de ter perdido aquela posição.

Com 36 anos, Federer torna-se assim o mais idoso tenista (homem ou mulher) a alcançar a posição cimeira da modalidade, recorde que pertencia ao norte-americano Andre Agassi, que se tornou número um aos 33 anos.

“Tornar-me número um do mundo com quase 37 anos é absolutamente um sonho realizado. É até difícil de acreditar”, comentou o jogador.

Federer detém ainda o recorde de maior número de semanas como número um (302) desde que o 'ranking' ATP foi criado, em 1973.

“Por vezes, no início, chegamos lá porque jogamos muito bem. Mais tarde conseguimos recuperar [o lugar de número um] de alguém que também merecia lá estar. E quando somos mais velhos a sensação é de termos de redobrar o esforço. Por isso, talvez esta seja a conquista com mais significado ao longo da minha carreira”, disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.