O espanhol David Ferrer, quarto cabeça de série, precisou hoje de cinco “sets” e três horas e 12 minutos para superar o ucraniano Alexandr Dolgopolov e rumar aos oitavos de final do torneio de ténis de Wimbledon.

Ferrer esteve a perder por 1-0 e 2-1, mas triunfou por 3-2, com os parciais de 6-7 (6-8), 7-6 (7-2), 2-6, 6-1 e 6-2, marcando encontro com o croata Ivan Dodig, que, quando vencia por 6-0, 6-1 e 1-0, beneficiou da desistência do holandês Igor Sijsling, a 13.º na presente edição, igualando o recorde de 2008.

Por seu lado, o sérvio Novak Djokovic, número 1 mundial, qualificou-se sem problemas, ao superar o francês Jeremy Chardy em três curtos “sets”.
Djokovic cometeu apenas três erros não forçados e “arrasou” Chardy por 6-3, 6-2 e 6-2, em 1:26 horas. O sérvio vai agora jogar o acesso aos “quartos” com o alemão Tommy Haas, que bateu o espanhol Feliciano Lopes por 4-6, 6-2, 7-5 e 6-4.

A exemplo do sérvio, também o checo Tomas Berdych e o argentino Juan Martin Del Potro contornaram a hecatombe de favoritos, ao baterem o sul-africano Kevin Anderson, 27.º cabeça de série, por 3-6, 6-3, 6-4 e 7-5, e o esloveno Grega Zemlja por 7-5, 7-6 (7-3) e 6-0, respetivamente.

Nos “oitavos”, o argentino defronta o italiano Andrea Seppi, 23.º pré-designado, que superou o japonês Kei Nishikori, 12.º, ao somar o sétimo triunfo consecutivo em cinco “sets” em 2013 - 3-6, 6-2, 6-7 (4-7), 6-1 e 6-4.

Por seu lado, Berdych mede forças com o jovem australiano Bernard Tomic, de 20 anos, que superou o francês Richard Gasquet, nono cabeça de série, por 7-6 (9-7), 5-7, 7-5 e 7-6 (7-5).

Tomic selou uma das surpresas do dia, seguindo o exemplo do polaco Lukasz Kubot, 130.º do “ranking” mundial, e do francês Kenny De Schepper, 80.º.

Kubot, de 31 anos, repetiu os “oitavos” de 2011, ao superar o francês Benoit Paire, 25.º cabeça de serie, por 6-1, 6-3 e 6-2, enquanto De Schepper logrou a primeira presença de sempre na quarta ronda de um torneio do “Grand Slam” ao superar o argentino Juan Monaco, 22.º, por 6-4, 7-6 (10-8) e 6-4.

Nos “oitavos”, Kubot defronta outro desconhecido, o francês Adrian Mannarino, 111.º da hierarquia, enquanto De Schepper disputará o acesso aos “quartos” com o espanhol Fernando Verdasco, que superou o letão Ernest Gulbis por 6-2, 6-4 e 6-4.

Para os “oitavos”, seguiu ainda o russo Mikhail Youzhny, 20.º cabeça de série, que bateu o sérvio Viktor Troicki por 6-3, 6-4 e 7-5 e marcou encontro com Andy Murray, que tenta ser o primeiro britânico a vencer em Wimbledon desde Fred Perry, em 1936

No quadro feminino, destaque para Laura Robson, que se tornou a primeira britânica a atingir os oitavos de final desde 1998 (Sam Smith), ao superar a neo-zelandesa Marina Erakovic por 1-6, 7-5 e 6-3, depois de estar a perder por 1-6 e 3-5.

Evidência ainda para a checa Petra Kvitova, campeã em 2011 e oitava da hierarquia, que superou a russa Ekaterina Makarova, 25.ª pré-designada, por 6-3, 2-6 e 6-3. Com este resultado, a Rússia não tem, pela primeira nos últimos 13 anos, qualquer representante nos oitavos de final de um torneio do “Grand Slam”.

Também se qualificaram a polaca Agnieszka Radwanska, quarta cabeça de série, a chinesa Na Li, oitava, a italiana Roberta Vinci, 11.ª, a norte-americana Sloane Stephens, 17.ª, a alemã Sabine Lisicki, 23.ª, que bateu a australiana Samantha Stosur, 14.ª, a porto-riquenha Mónica Puig, a estónia Kaia Kanepi e a búlgara Tsvetana Pironkova.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.