No “court” central do complexo no qual se disputa o Grand Slam francês, a dupla francesa conseguiu o impensável, impondo-se por 6-7 (4-7), 6-4, 7-6 (7-5) e 6-1 ao temível duo "Stepych", que em 16 encontros como par na Taça Davis só perdeu uma vez, e carimbando a passagem da França à final da principal prova de seleções.

Gasquet e Tsonga, que até hoje só tinham sido par por uma vez na Davis, prolongaram a aura vencedora conquistada nos encontros de singulares na véspera e eliminaram a República Checa, vencedora da competição nas duas últimas edições, diante de um público fervoroso, que parecia estar a viver um jogo de futebol.

Para a França, este 3-0 (no domingo disputam-se os outros dois encontros de singulares) representa o regresso à final, fase que não atingia desde 2010, ano em que foi derrotada pela Sérvia.

Agora os franceses estarão de olhos postos em Genebra, onde hoje a Itália reduziu a diferença no marcador com a Suíça, depois de Simone Bolelli e Fabio Fognini aproveitaram a ausência da estrela Roger Federer para adiarem a decisão para os encontros de singulares de domingo.

A dupla italiana derrotou o duo composto por Stanislas Wawrinka e Marco Chiudinelli em cinco sets, pelos parciais de 7-5, 3-6, 5-7, 6-3 e 6-2, e nivelou a meia-final em 2-1.

Federer, que este sábado descansou como já tinha acontecido em 2009 frente aos mesmos rivais, será novamente chamado a conquista o ponto crucial contra Fognini.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.