No reencontro com o italiano Gianluca Naso – a quem tinha ganho no ano passado, no “challenger” de Turim, já em três sets –, Frederico Gil voltou a encontrar um adversário com um nível de ténis nada consentâneo com o 245.º lugar que ocupa no “ranking” ATP. E apesar de ter dado tudo o que tinha, Gil (101.º) acabou por ceder na segunda ronda da TennisLife Cup, “challenger” dotado com 42.500 euros em prémios monetários, a decorrer em Nápoles.

Após um primeiro set em que só conseguiu ganhar oito pontos no serviço de Naso, o tenista português elevou o nível de jogo, mas só conseguiu ganhar a segunda partida no “tie-break” e no quarto “set-point”. Mas a jogar diante do seu público, o italiano voltou a servir muito bem e a procurar as linhas do fundo do court para vencer Gil, por 6-4, 6-7 (6/8) e 6-2, ao fim de duas horas e 41 minutos.

«Sem dúvida que ele jogou bem, com uma boa ‘esquerda’ e um bom serviço, mas não gostei da minha exibição. Apenas na fase final do segundo set, a partir do 3-3, é que me senti melhor mas, em geral, não me senti bem. Tenho de lhe dar mérito, mas podia ter pegado mais vezes no ponto e fazê-lo correr, mas joguei mais na expectativa. Lutei, lutei, mas não joguei o suficiente para ganhar. Estou a tentar ser mais agressivo ao mesmo tempo que tento manter a solidez e às vezes a junção não é fácil – ainda para mais nestes courts que são um pouco irregulares», disse Gil.

A fechar a jornada, Gil e o argentino Carlos Berlocq jogam os quartos-de-final do torneio de pares, frente aos franceses Olivier Charroin e Stéphane Robert, cabeças de série n.º1 da prova.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.