O tenista português João Sousa revelou, em entrevista à agência Lusa, pretender apostar "um bocadinho mais nos torneios de piso rápido" no início da nova temporada e ter nos Jogos Olímpicos de Tóquio uma das prioridades para 2020.

"Infelizmente, não conseguimos [Portugal] entrar na ATP Cup, que era um dos objetivos, e por isso optámos por começar, como todos os anos, em Auckland, um torneio especial, onde já fiz bons resultados, sinto-me bem a jogar e as pessoas são fantásticas”, começou por revelar.

Segue-se o primeiro Grand Slam da temporada, o Open da Austrália, e depois João Sousa vai ficar na Europa “a jogar os torneios de piso rápido”.

“Este ano, optámos por apostar um bocadinho nessa superfície", avançou.

Depois do ATP 250 de Auckland e do primeiro ‘major’ da temporada, onde defende a terceira ronda alcançada em 2019, o vimaranense vai disputar o ATP 250 de Montpellier, o ATP 500 de Roterdão e o ATP 250 de Marselha com vista a uma época para a qual ainda não estipulou metas em concreto.

"Os meus desejos são sempre os mesmos. Ser melhor jogador, adaptar-me ao ténis atual, tentar acabar o ano o melhor possível no ‘ranking', continuar a fazer o que gosto, que é jogar ténis, e desfrutar. Ainda não delineei objetivos para a próxima época, estou mais focado em recuperar a 100%", assegurou Sousa, que ainda não recuperou totalmente da fratura de esforço no pé esquerdo.

Ainda assim, o número um nacional e 60.º colocado no ‘ranking' ATP coloca a qualificação para "os Jogos Olímpicos como um dos objetivos prioritários" para 2020.

"Já estive no Rio de Janeiro, em 2016, e foi uma experiência única. E a verdade é que seria um orgulho para mim estar presente nestes Jogos Olímpicos de Tóquio. Será certamente uma prioridade", sublinhou.

Tal como nas últimas duas épocas, João Sousa revelou ainda ter a intenção de continuar a investir na variante de pares, formando parceria com o amigo espanhol Pablo Carreño-Busta.

"Vamos dar prioridade aos singulares, como é óbvio, mas este ano vou fazer uma parceria mais séria com o Pablo Carreño-Busta. Vamos apostar um bocadinho mais nesta variante e jogar com mais frequência juntos. A prioridade é jogar os melhores torneios do mundo, os Grand Slam, os Masters 1000, os torneios 500 e 250 e manter-me no topo da elite mundial", avançou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.