A final do Open da Austrália em ténis, primeiro Grand Slam da temporada, vai disputar-se pela primeira vez em 19 anos sem pelo menos um dos 'Big Three’, Novak Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer.

Com o suíço Roger Federer já retirado e o espanhol Rafael Nadal a lesionar-se na preparação para o 'Happy Slam', o sérvio Novak Djokovic era o único resistente do trio que dominou o ténis mundial nas últimas décadas.

Contudo, o número um mundial foi hoje eliminado nas meias-finais pelo italiano Jannik Sinner, quarto do ranking, que vai agora defrontar o russo Daniil Medvedev, terceiro jogador mundial, que afastou o alemão Alexander Zverev.

Em 2005, último ano sem qualquer um dos 'Big Three’ na final, foi o também russo Marat Safin a vencer em Melbourne, ao derrotar o australiano Lleyton Hewitt.

Desde então, o grande dominador do Open da Austrália tem sido Novak Djokovic, que perdeu hoje pela primeira vez nas meias-finais e ganhou as 10 finais em que esteve.

Roger Federer conquistou seis títulos em Melbourne, um dos quais um ano antes do triunfo de Safin, perdendo apenas uma final, em 2009, para Rafael Nadal, que apenas voltou a vencer em 2022, já depois de ter perdido quatro finais, três das quais para o sérvio.

A outra final perdida de Nadal, em 2014, foi para o suíço Stan Wawrinka, o único a conseguir intrometer-se no domínio dos três 'monstros' nos últimos 18 anos.

Neste período, o britânico Andy Murray foi o tenista mais vezes derrotado em finais (cinco vezes), com o cipriota Marcos Baghdatis, o chileno Fernando González, o croata Marin Cilic e o austríaco Dominic Thiem a chegarem por uma vez ao encontro decisivo.

Depois de interromper uma série de 33 vitórias de Djokovic no Open da Austrália, o jovem Jannik Sinner, de 22 anos, chega pela primeira vez à final de um torneio do Grand Slam, nos quais tinha como melhor prestação a meia-final em Wimbledon em 2023.

Para Medvedev, esta será a sexta final em 'majors', a terceira no Open da Austrália, onde perdeu em 2021 para Djokovic e em 2022 para Nadal.

O russo, de 27 anos, também tem três finais no Open dos Estados Unidos, onde perdeu para Nadal em 2019 e para Djokovic em 2023, conseguindo o seu primeiro e único 'major' em 2021 em Nova Iorque, frente ao sérvio, que podia nesse ano ter vencido os quatro torneios do Grand Slam.

Assim, a final de domingo será a primeira em que Medvedev não defronta Djokovic ou Nadal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.