O estado de Victoria anunciou hoje um novo confinamento e proibiu espetadores no Open da Austrália durante cinco dias a partir de sábado, devido a um surto de covid-19 num hotel usado para quarentenas.

Com as novas restrições, os residentes apenas podem sair de casa para comprar mantimentos essenciais, para terem acesso a cuidados de saúde, para exercício e trabalho essencial.

Já o torneio será autorizado a continuar, mas sem espetadores.

As escolas estarão fechadas de segunda a quarta-feira, e não haverá casamentos ou serviços religiosos.

Os adeptos, que chegaram hoje a Melbourne Park antes do anúncio, foram instruídos à entrada para manterem o distanciamento social, aplicarem desinfetante nas mãos e a cobrirem também o nariz com as máscaras.

O Open da Austrália foi o primeiro torneio do Grand Slam num ano a permitir assistências consideráveis.

Após a epidemia de covid-19 se ter tornado uma pandemia, Wimbledon foi cancelado, os adeptos não foram permitidos no Open dos Estados Unidos e o número de espetadores no Open de França foi fortemente restringido.

Ao abrigo do plano inicial do Open da Austrália, o Governo permitiu até 30 mil pessoas diariamente em Melbourne Park, ou cerca de 50% da capacidade. A maior assistência diária nos primeiros quatro dias foi de 21.010, na quinta-feira.

O fim do torneio está marcado para a meia-noite de quarta-feira (hora local), quando serão tomadas decisões sobre as restrições.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.