O tenista português Pedro Sousa admitiu que sentiu hoje muitas dificuldades no encontro da primeira ronda do Estoril Open, frente ao francês Gilles Simon, e que pensou que poderia não chegar ao fim.

Pedro Sousa, 143.º do mundo, precisou de duas horas e 45 minutos para afastar o francês, 70.º, por 6-3, 4-6, 7-6 (7-4), num encontro em que várias vezes mostrou dificuldades físicas, acabando mesmo por cair após o último ponto.

“O segredo [desta vitória] não foi nenhum, fui tentando sobreviver enquanto desse, achava que ia ficar estatelado no chão a qualquer momento, nunca achei que conseguisse chegar ao fim. Fui prolongando, prolongando, às vezes com alguma ajuda dele e outras com sorte. Deu para chegar ao fim e ganhar”, admitiu.

Em conferência de imprensa, Pedro Sousa disse que “foi um jogo duro”, com trocas longas de bolas em quase todos os pontos nos dois primeiros ‘sets’.

“A verdade é que estava cansado e no início do terceiro ‘set’ começaram a prender-me um pouco as pernas e foi piorando. Fui tentando aguentar o máximo que desse. Felizmente deu até deitar a bola para fora [após o final do encontro] e aí deu-me a mais forte de todas e tive de me deitar, porque já não conseguia aguentar-me em pé”, referiu.

Reconhecendo que esta foi apenas tinha acabado assim um encontro, no antigo Estoril Open, Pedro Sousa admitiu que o problema que teve no abdominal apenas lhe atrasou a preparação para este torneio.

“O abdominal agora está igual ao resto, está mau. Amanhã [terça-feira] ver como está. A única coisa que o abdominal interferiu é que comecei a treinar mais tarde, tive alguns dias a descansar para recuperar. Se calhar não estava tão preparado para um jogo tão longo como estaria se estivesse com o ritmo normal. Estive bem, joguei bem e aguentei-me bem dentro do possível”, assumiu.

Na próxima ronda, Pedro Sousa pode encontrar o compatriota João Sousa, caso este afaste na terça-feira o russo Daniil Medvedev, oitavo cabeça de série.

“Acho que era bom, porque queria dizer que íamos ter um Sousa nos quartos. Mas não estou a pensar muito nisso, quero é descansar e recuperar para estar o melhor possível para esse encontro”, referiu.

Antes do encontro da segunda ronda, Pedro Sousa ainda joga na terça-feira ao lado de Gastão Elias a primeira ronda do torneio de pares, frente ao israelita Jonathan Erlich e ao norte-americano Scott Lipsky.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.