Agnieszka Radwanska vai defrontar Sabine Lisicki e Marion Bartoli joga com Kirsten Flipkens nas meias-finais de Wimbledon, depois de hoje todas as tenistas em prova que tinham conquistado um "Grand Slam" terem sido eliminadas.

Num torneio de Wimbledon algo invulgar - apenas uma das 10 principais candidatas à conquista do torneio se encontra em prova -, a polaca Radwanska, quarta favorita, venceu hoje a chinesa Na Li, sexta cabeça de série e vencedora de Roland Garros em 2011, pelos parciais de 7-6 (7-5), 4-6 e 6-2, num encontro dos quartos de final que durou 2:43 horas.

Por seu turno, a belga Flipkens venceu a checa Petra Kvitova, oitava cabeça de série e vencedora em Wimbledon em 2011, pelos parciais de 4-6, 6-3 e 6-4, em 2:45 horas.

Além destas, a alemã Lisicki, 23.ª cabeça de série, derrotou a estónia Kaia Kanepi pelos parciais de 6-3 e 6-3, em uma hora e cinco minutos, enquanto a francesa Bartoli, 15.ª pré-designada, superou a norte-americana Sloane Stephens por 6-4 e 7-5, em 1:41 horas.

Radwanska, que hoje terminou o jogo com a coxa direita ligada, explicou que tem tido muitos jogos e que tem sido um torneio difícil, mas que que vai fazer tudo para recuperar para as meias-finais.

«Eu joguei muito durante os últimos dias, tem sido muito difícil. Mas vou fazer tudo ao meu alcance para hoje e amanhã (quarta-feira) descansar e estar pronta para o próximo jogo. Será um desafio, conheço a Sabine desde os torneios juvenis. É sempre difícil enfrentar alguém como ela, ainda mais numa meia-final», disse a polaca.

Lisicki, que em 2011 esteve presente na meia-final em Wimbledon frente à russa Maria Sharapova, num encontro em que saiu derrotada por 6-4 e 6-3, mostra-se “mais apta” para esta meia-final, onde chega moralizada, depois de ter eliminado a número um do Mundo, a norte-americana Serena Williams, que venceu o torneio por cinco vezes.

«Antes do início do torneio pensava que tudo era possível. Já sei o que é estar nas meias-finais. A atmosfera é diferente, a roupa começa a ficar vazia, é algo completamente diferente. Fico feliz por ter passado por essa experiência, sinto-me mais fresca e mais apta do que há dois anos», disse a alemã.

Na outra meia-final, a belga Flipkens, que nunca tinha passado a quarta ronda de um "Grand Slam" até agora e que participa em Wimbledon pela quinta vez, enfrenta a francesa Bartoli, que em 2007 jogou a sua única final de um "Grand Slam", neste mesmo All England Club, de onde saiu derrotada por Vénus Williams (6-4 e 6-1).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.