O tenista Jannik Sinner voltou a surpreender Novak Djokovic, desta vez em Melbourne Park, onde o sérvio defendia o título do Open da Austrália e o italiano vai agora lutar com o russo Daniil Medvedev pelo troféu.

O primeiro encontro das meias-finais do quadro de singulares masculino abriu a jornada de hoje na Rod Laver com a vitória surpreendente do jovem transalpino, número quatro do mundo aos 22 anos, em quatro sets, por 6-1, 6-2, 6-7 (6-8) e 6-3, diante Djokovic, dez vezes campeão do ‘Happy Slam’.

Depois de ter derrotado duas vezes o número um mundial na reta final de 2023, durante a fase de grupos das ATP Finals e na Taça Davis para oferecer a vitória à campeã Itália, Sinner voltou a levar a melhor, mas neste caso num torneio em que Djokovic nunca havia perdido na meia-final e na final, assim como não conhecia o sabor da derrota desde 2018, registando 33 vitórias consecutivas.

“Foi um encontro muito duro. Comecei muito bem. Nos dois primeiros sets senti que ele não se estava a sentir muito bem no ‘court’, por isso continuei a pressionar. Depois no terceiro [set], tive ‘match point’ e falhei uma direita, mas é ténis. Tentei recompor-me para o set seguinte, que comecei muito bem”, explicou o italiano.

Além de reconhecer que tinha muita vontade de “jogar este encontro”, porque “é sempre bom defrontar um jogador com o qual podes aprender muito”, Sinner lembra a derrota sofrida em Wimbledon, em 2023, “e que tudo isso fazia parte do processo. É um sentimento incrível.”

Graças ao triunfo frente ao detentor de 24 títulos do Grand Slam, que assinou 54 erros não forçados e não dispôs de nenhum ponto do ‘break’, Jannik Sinner tornou-se no quinto jogador italiano a marcar presença numa final de um torneio do Grand Slam, disputando o seu primeiro troféu de um ‘major’ com Daniil Medvedev.

O moscovita, número três do mundo, protagonizou uma recuperação memorável, quando perdia por dois ‘sets’ a zero e 4-5 no ‘tie-break’ da quarta partida, para derrotar o alemão Alexander Zverev (6.º ATP) ao fim de quatro horas e 18 minutos, com os parciais de 5-7, 3-6, 7-6 (7-4), 7-6 (7-5) e 6-3

“Honestamente, acho que no primeiro set não jogámos muito bem. No segundo penso que joguei um pouco melhor. Ele jogou muito bem, 6-3, dois ‘breaks’, não tive chances no serviço dele. Estava um bocadinho perdido durante o terceiro set, mas se tivesse perdido este encontro estaria orgulhoso de mim. Queria lutar até ao fim, se perdesse, perdia, se conseguisse ganhar ficaria muito orgulhoso”, contou o carrasco do português Nuno Borges, nos oitavos de final.

Enquanto Jannik Sinner, de 22 anos e 163 dias, se tornou no mais jovem jogador a qualificar-se para o encontro decisivo do Open da Austrália, desde Djokovic em 2008, Daniil Medvedev, de 27 anos, assegurou pela terceira vez na carreira a presença na final em Melbourne Park, onde perdeu em 2021 ante Novak Djokovic e 2022 frente a Rafael Nadal.

O campeão do Open dos Estados Unidos de 2021, que vai disputar a sua sexta final de um torneio do Grand Slam, lidera (6-3) o confronto direto com Sinner, mas o jovem transalpino venceu os últimos três encontros disputados na última época.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.