Ao contrário dos suíços Roger Federer (38 anos) e Stan Wawrinka (34) e do francês Gaël Monfils (33), batido em cinco ‘sets’ pelo italiano Matteo Berrettini, Nadal (33) seguiu em frente, com um triunfo por 6-4, 7-5 e 6-2, em duas horas e 46 minutos.

O espanhol ficou a um triunfo da 27.ª final do ‘Grand Slam’ e quinta no US Open - que venceu em 2010, 2013 e 2017 e em que conta uma final perdida, em 2011 - e a duas vitórias do 19.º ‘major’ e de ficar a apenas um do recordista Federer.

Para já, o segundo jogador do ‘ranking’ mundial repetiu 2008, 2009, 2010, 2011, 2013, 2017 e 2018, depois de um encontro atípico face aos 21.º da hierarquia, especialmente nos dois primeiros ‘sets’, em que desperdiçou dois ‘breaks’ de vantagem.

No primeiro, o espanhol chegou rapidamente a 4-0, mas deixou-se igualar (4-4) e, depois, ainda enfrentou dois pontos de ‘break’, que salvou, para, no 10.º jogo, fechar com 6-4, ao quebrar pela terceira vez o serviço ao sul-americano.

A história repetiu-se no segundo, com Nadal a chegar ao 5-1 e depois a perder quatro jogos consecutivos. Com 5-5, o espanhol logrou, no entanto, reagir, venceu o seu jogo de serviço (6-5) e fechou o parcial (7-5) como novo ‘break’.

No terceiro ‘set’, o espanhol conseguiu o primeiro ‘break’ ao sexto jogo (4-2) e, desta vez, não ‘facilitou’, acabando por encerrar o encontro como nova quebra de serviço ao argentino, que bateu pela oitava vez, em oito encontros.

“Ganhei em três ‘sets’, mais foi difícil. Perdi duas vezes dois ‘breaks’ de avanço e cometi erros (39 não forçados, contra 35 ‘winners’), mas ele jogou bem. Estou contente por ter continuado a jogar ponto após ponto e estou nas meias-finais”, disse Nadal, garantindo que se sentiu “bem” fisicamente.

Nas meias-finais, o espanhol vai encontrar Berrettini, que se qualificou pela primeira vez para as meias-finais de um torneio do ‘Grand Slam’, ao bater Gaël Monfils por 3-6, 6-3, 6-2, 3-6 e 7-6 (7-5), após três horas e 57 minutos. É o primeiro italiano nesta fase desde Corrado Barazzutti, em 1977.

O encontro não teve equilíbrio nos quatro primeiros ‘sets’, mas o quinto foi emocionante, com o transalpino a desperdiçar uma vantagem de 5-2 e três ‘match points’ antes do ‘tie break’, um a vencer por 5-3 e quando liderava por 6-5.

No jogo decisivo, o 25.º jogador mundial esteve sempre no comando e acabou por triunfar por 7-5, ao quinto ‘match point’, numa altura em que Monfils, 13.º da hierarquia, já não conseguia esconder o cansaço.

A outra meia-final do quadro masculino, será entre dois jogadores que, como Berrettini, nunca venceram um torneio do ‘Grand Slam’, o russo Daniil Medvedev, quinto jogador mundial, e o búlgaro Grigor Dimitrov, 78.º e ‘carrasco’ de Federer.

No quadro feminino, as meias-finais também estão repletas de ‘outsiders’, depois do apuramento da canadiana Bianca Andreescu, 15.ª WTA, e da suíça Belinda Bencic, 12.ª, que se juntaram à veterana norte-americana Serena Williams, que procura o 24.º ‘major’, e à ucraniana Elina Svitolina, quinta da hierarquia.

Bencic, que tinha como melhor no ‘Grand Slam’ os ‘quartos’ no US Open de 2014, superou a croata Donna Vekic, 23.ª jogadora mundial, por 7-6 (7-5) e 6-3, dando, assim, sequência ao triunfo sobre a japonesa Naomi Osaka, líder da tabela mundial.

Por seu lado, a jovem Andreescu (19 anos), que nunca tinha passado a segunda ronda de um ‘major’, voltou a mostrar que não foi por acaso que este ano já venceu em Indian Wells e o Open do Canadá, superando Elise Mertens, 26.ª WTA, em três ‘sets’, pelos parciais de 3-6, 6-2 e 6-3.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.