A tenista ucraniana Anhelina Kalinina superou hoje a russa Veronika Kudermetova, em três parciais, e apurou-se para a final do torneio de Roma, a primeira da carreira na categoria 1.000, dedicando o feito ao seu país.

Esta foi a primeira vez que Kalinina, 47.ª colocada da hierarquia WTA, garantiu um lugar numa final desta dimensão, após um encontro que durou quase três horas e que terminou sem o cumprimento das duas jogadoras à rede.

"Nós não apertamos as mãos porque ela é da Rússia, basicamente. Não é nenhum segredo e é porque este país ataca a Ucrânia", justificou Kalinina, ainda no ‘court’, após vencer a oponente (12.ª) por 7-5, 5-7 e 6-2.

E acrescentou: “É muito importante vencer todas as partidas, por causa do que a Ucrânia está a passar”.

Kalinina, cuja casa de família foi destruída em um ataque russo no ano passado, teve o público presente no ‘Campo centrale’ a apoiá-la com bandeiras da Ucrânia.

“Eu espero, realmente, dar uma pequena luz e talvez algumas emoções positivas ao meu país. Eu espero que a Ucrânia goste um pouco [disso]”, manifestou.

Na final, Kalinina vai enfrentar a vencedora do encontro entre Elena Rybakina, do Cazaquistão, e Jelena Ostapenko, da Letónia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.