A campeã em título Sloane Stephens foi hoje eliminada por Anastasija Sevastova nos quartos de final do US Open em ténis, último ‘major' da temporada, horas antes de Juan Martin del Potro se tornar no primeiro semifinalista.

A letã Anastasija Sevastova acabou com as esperanças da norte-americana e terceira cabeça de série de revalidar o título conquistado há um ano, ao levar a melhor no encontro dos quartos de final em apenas dois ‘sets’, pelos parciais de 6-2 e 6-3, em uma hora e 24 minutos.

Depois de ter chegado aos quartos de final nas últimas duas edições, a número 18 do ‘ranking' mundial assinou 18 ‘winners' face aos 13 de Stephens e, embora tenha cometido o mesmo número de erros não forçados (28), converteu cinco de oito ‘break points', salvando sete dos nove enfrentados, para se tornar na primeira tenista da Letónia a aceder ao lote das quatro que vão disputar as meias-finais.

"À terceira foi de vez. Mas se tivesse perdido continuaria orgulhosa de mim mesma. Três vezes nos quartos de final não acontece todos os anos, nem todos os dias" avançou Sevastova, de 28 anos, no final do encontro no Arthur Ashe Stadium, onde as temperaturas voltaram a ultrapassar os 30 graus.

Apesar da vantagem no confronto direto (2-1), Sloane Stephens desta vez não conseguiu impor o seu jogo e acabou por ver a adversária desforrar-se da derrota imposta em 2017 igualmente nos quartos de final do US Open.

"Quando não jogamos bem pontos longos, o encontro pode fugir. Penso que foi o que aconteceu hoje. Não converti pontos, não joguei bem os pontos longos e não se ganha quando não se aproveita as oportunidades", explicou a norte-americana, que virtualmente deverá descer à nona posição da hierarquia WTA.

Anastasija Sevastova aguarda pelo desfecho do encontro dos quartos de final entre Serena Williams e Karolina Pliskova para conhecer o nome da próxima adversária.

Na competição masculina, o argentino Juan Martin del Potro travou uma longa batalha para afastar o norte-americano John Isner em quatro sets, por 6-7 (5), 6-3, 7-6 (4) e 6-2 em três horas e meia, e regressar às meias-finais em Flushing Meadows.

Apesar de ter imposto já este ano uma derrota em piso rápido ao número três mundial em Miami, o 11.º cabeça de série cometeu muitos erros não forçados (51) que, feitas as contas com os 26 ases e 67 ‘winners', foram fatais perante o argentino e campeão do US Open em 2009, que respondeu com 14 ases, 49 ‘winners' e escassos 14 erros não forçados, convertendo ainda dois pontos de break dos dez que dispôs.

Consumada a vitória num encontro que teve o português Carlos Ramos na cadeira de árbitro, Del Potro aumentou a vantagem no confronto direto com o semifinalista de Wimbledon (8-4) enquanto aguarda pelo desfecho do embate entre Rafael Nadal e Dominic Thiem para saber com quem irá discutir a qualificação para a final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.