O russo Daniil Medvedev e a norte-americana Serena Williams garantiram o acesso à terceira ronda do Open dos Estados Unidos, em Flushing Meadows, no mesmo dia em que o português Nuno Borges se despediu da competição de singulares.

Primeiro cabeça-de-série e número um mundial, Daniil Medvedev, deu mais um passo na defesa do título conquistado em 2021 no último ‘major’ da temporada, assegurando a presença na terceira ronda pelo quinto ano consecutivo, com o triunfo sobre o francês Arthur Rinderknech, por 6-2, 7-5 e 6-3.

Ao abrir o encontro com uma quebra de serviço, a primeira de quatro num duelo que durou duas horas e 11 minutos, o moscovita, de 26 anos, viu-se no controlo do desafio desde cedo e, com a vitória alcançada sobre o número 58 ATP, ficou mais perto de tornar-se no primeiro jogador a vencer dois anos consecutivos em Nova Iorque, depois dos triunfos de Roger Federer entre 2004 e 2008.

“Não é assim tão fácil jogar quando o encontro começa às 22:00, mas tenho já alguma experiência e estava pronto, por isso tentei encontrar uma forma de jogar o meu melhor ténis. Senti que o Arthur estava um pouco lento, fez algumas duplas faltas e erros não forçados, e depois limitei-me a gerir o ascendente que consegui alcançar”, destacou Medvedev.

Na terceira ronda, ao invés de se cruzar com Nuno Borges, o líder do ‘ranking’ mundial vai defrontar o surpreendente chinês Yibing Wu, que levou a melhor sobre o número dois nacional, num equilibrado encontro só resolvido em cinco partidas, com os parciais de 6-7 (7-3), 7-6 (7-4), 4-6, 6-4 e 6-4, ao cabo de três horas e 46 minutos.

O tenista maiato, de 25 anos, 104.º ATP, até entrou melhor no encontro, chegando a dispor de uma vantagem de dois ‘sets’ a um, mas acabou por assistir à recuperação do jovem de 22 anos, atual número 173 mundial, que ainda em março deste ano ocupava o 1869.º lugar da hierarquia.

Frente a Daniil Medvedev, e já depois de na passada segunda-feira se ter tornado no primeiro tenista chinês masculino, em 63 anos, a vencer um encontro em quadros principais do Grand Slam, Yibing Wu espera continuar a fazer história em Nova Iorque, sendo que uma eventual vitória sobre o russo poderá levá-lo “às portas” do ‘top 100’ mundial.

Ainda na competição masculina, a última sessão noturna jogada na metrópole nova-iorquina ficou marcada pelo surpreendente triunfo de Jack Draper (53.º ATP) sobre o canadiano Felix Auger-Aliassime, com o resultado de 6-4, 6-4 e 6-4, ao cabo de duas horas e 28 minutos.

O esquerdino britânico, de 20 anos, a jogar pela terceira vez apenas o quadro principal de um ‘major’, depois de Wimbledon 2021 e 2022, rubricou uma exibição sólida, assente em três ‘breaks’ cirúrgicos sobre o número oito mundial, não perdendo o seu serviço uma única vez, afastando assim o semifinalista de 2021, que não evitou um total de 41 erros não forçados.

No caminho de Draper surgirá agora o russo Karen Khachanov, número 31 mundial, que precisou de quatro partidas para levar de vencida o brasileiro Thiago Monteiro (67.º ATP), com os parciais de 6-3, 6-3, 5-7 e 6-4, ao fim de duas horas e 58 minutos de encontro.

Também em sessão noturna, mas na variante individual feminina, a norte-americana Serena Williams somou o seu 108.º triunfo individual em Nova Iorque e voltou a adiar aquele que poderá ser o último encontro de uma carreira cintilante, ajudando ainda a reescrever uma nova página na história do quarto e derradeiro Grand Slam da temporada.

Perante uma audiência recorde de 29.959 espetadores no Arthur Ashe Stadium, suplantando os 29.402 da passada segunda-feira, a campeoníssima, de 40 anos, atual número 605 mundial, defrontou Anett Kontaveit, batendo a vice-líder do ranking WTA Tour com os parciais de 7-6 (7-4), 2-6 e 6-2, ao cabo de duas horas e 27 minutos.

“Penso que ainda tenho um pouco mais de energia dentro de mim. Isto é o que eu faço melhor e adoro estar à altura de um desafio. Depois de ter perdido o segundo ‘set’, pensei que poderia estar perto do fim, mas continuei a tentar e a dar o meu melhor”, confessou Williams ainda em ‘court’.

Naquele que foi o seu 1013.º encontro da carreira, a vencedora de 23 títulos do Grand Slam assinou um total de 11 ases e 38 ‘winners’ contra 40 erros não forçados, marcando assim encontro na terceira ronda com a australiana Ajla Tomljanovic, vencedora sobre a russa Evgeniya Rodina por 1-6, 6-2 e 7-5.

Igualmente vitoriosa saiu Bianca Andreescu, campeã do Open dos Estados Unidos em 2019, do seu encontro com a brasileira Bia Haddad Maia. A canadiana (48.ª) derrotou a esquerdina número 15 mundial, por 6-2 e 6-4, em uma hora e 28 minutos, e vai agora defrontar na terceira ronda a francesa Caroline Garcia, que se impôs à russa Anna Kalinskaya, com os parciais de 6-3 e 6-1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.