Apesar de ter contrariado o favoritismo contrário no primeiro ‘set’, a formação liderada pelo selecionador Hugo Silva caiu de rendimento ao longo do desafio perdeu pela margem máxima com as ucranianas, com parciais de 21-25, 16-25 e 11-25, à semelhança do que acontecera há uma semana, na cidade checa de Tabór.

Com a terceira derrota em quatro jogos de qualificação, a equipa das ‘quinas’ manteve o terceiro lugar, com três pontos, menos oito do que a Ucrânia, primeira classificada, e a sete do que a Hungria, segunda, quando restam duas jornadas numa qualificação em que se apuram as duas primeiras seleções de cada grupo.

Perante uma assistência superior a um milhar de pessoas no pavilhão municipal de Santo Tirso, a seleção lusa equivaleu-se à Ucrânia em grande parte do primeiro ‘set’, apresentando fluidez de ataque em resposta aos serviços contrários e solidez no bloco.

Portugal viu-se com uma desvantagem de 6-3, com Olesia Rykhliuk a mostrar desde logo o potencial ofensivo que fez dela a melhor marcadora do encontro (21 pontos), mas a precisão dos ataques subiu, com Maria Lopes em evidência, e o bloco começou a funcionar, beneficiando da ação de Aline Timm.

As anfitriãs empataram (7-7) e mantiveram-se lado a lado com a oponente, tendo mesmo passado para a frente do marcador (12-11), antes de o selecionador ucraniano, Ivan Petkov, pedir o primeiro desconto de tempo do encontro.

O jogo continuou equilibrado até o 16-15 favorável à Ucrânia se avolumar para um 20-16, fruto de um remate de Margarida Maia para fora, de um bloco eficaz Anastasiia Maievska e de um remate certeiro de Ryhkliuk.

A diferença revelou-se crucial para a seleção ‘azul e amarela’ fechar o primeiro ‘set’ por 25-21 e controlar o resto do encontro por larga margem, sem deixar a equipa das ‘quinas’ reentrar na discussão.

Com crescentes dificuldades para lidar com a defesa e o bloco contrários, Portugal viu uma desvantagem de 10-7 transformar-se em 16-8, antes de a seleção do leste da Europa fechar ‘as contas’ por 25-16.

O terceiro ‘set’ foi ainda mais desnivelado, com Portugal incapaz de pontuar em remates na ponta, quase sempre defendidos, e no centro da rede, fosse pelo bloco contrário ou pela maior força física ucraniana nas bolas divididas, que levaram ao parcial de 25-12.

Afastado do europeu de voleibol, Portugal volta a jogar em Santo Tirso na próxima jornada, frente ao Chipre, em encontro marcado para quinta-feira, às 21:00, antes de concluir a qualificação com uma visita à Hungria, no sábado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.