Lewis Hamilton é um dos desportistas do Mundo mais envolvidos com causas sociais. O piloto da Fórmula 1 está envolvido em vários projetos sociais, onde se destaca a sua luta contra a discriminação racial.

O heptacampeão do Mundo voltou a abordar o tema do racismo, numa entrevista à revista 'Sports Illustrated'. O inglês contou que, na sua infância chamavam-no de 'negro' [termo considerado racista na língua inglesa para pessoas afrodescendentes] na rua, as pessoas atiravam-lhe bananas e que alguns professores chegaram a dizer-lhe que "nunca chegaria a nada" quando fosse adulto.

"A escola foi, provavelmente, o momento mais traumático e difícil da minha vida. Eu já era intimidado aos seis anos de idade. Penso que, naquela escola em particular e naquela altura, eu era provavelmente uma de três crianças de cor. Fui muitas vezes agarrado por miúdos que eram apenas valentões maiores e mais fortes. As pessoas chamavam-me mestiço, não sabendo realmente onde eu me inseria", começou por contar.

"Isso para mim foi difícil. Quando se entra numa aula de história e não há imagens de pessoas de cor na história que nos estavam a ensinar, eu ficava a pensar: 'Onde estão as pessoas que se parecem comigo?'", questionava..

Os insultos e discriminação que sofreu na infância quase o levaram a desistir. Mas o piloto de Fórmula 1 usou isso a seu favor para construir uma carreira de sucesso.

"Lembro-me de estar atrás de um parque infantil, em lágrimas, a pensar: 'Não vou ser nada'. E a acreditar nisso por uma fração de segundo. Não sentia que podia ir para casa e falar com os meus pais, não queria que o meu pai pensasse que eu não era forte", revelou.

"O sistema estava realmente contra mim e eu estava a nadar contra a maré. Mas estou muito grato por essa viagem, porque foi o que me tornou na pessoa que sou hoje", completou.

Na mesma entrevista à revista 'Sports Illustrated', o atua piloto da Mercedes recordou a polémica que teve com o brasileiro Nelson Piquet em 2022, quando este o chamou de 'neguinho', numa entrevista.

"É mais do que uma questão de linguagem. Essa mentalidade arcaica tem de mudar e não tem lugar no nosso desporto. Tenho estado rodeado por estas atitudes durante toda a minha vida e tive muito tempo para aprender. Agora é o momento de agir", atirou.

Lewis Hamilton é o primeiro e único piloto negro na Fórmula 1. Além da luta contra a discriminação racial, o inglês tem-se posicionado abertamente a favor da defesa dos animais e do meio ambiente, contra a desigualdade social e a violência policial.

Hamilton tornou-se vegan e abriu uma rede de restaurantes vegetarianos. Nas redes sociais tem alertado muitas vezes para a poluição que a indústria pecuária gera para o planeta.

O inglês vsatem incentivado, com outros pilotos e responsáveis pelas corridas, a um maior esforço para reduzir o impacto da Fórmula 1 sobre o meio ambiente.

O piloto criou a 'The Hamilton Commission', uma iniciativa que tem o objetivo de estimular o recrutamento e a progressão de pessoas negras no automobilismo do Reino Unido.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.