O Benfica derrotou o Vitoria de Guimarães num jogo polémico, com opiniões divergentes. Jesus afirmou que as grandes penalidades foram bem assinaladas e que ainda ficou uma por marcar. Rui Vitória foi mais diplomata e disse que ele errou, que o Benfica errou e que Duarte Gomes também errou. 

Esta polémica vai estar na ordem do dia. Os adeptos dos clubes intervenientes, os simpatizantes dos clubes rivais, vão analisar, interpretar, explorar os lances das grandes penalidades até à ínfima, discutindo e avançando com as mais controversas opiniões. Aliás o que mais se discute no futebol nacional são as arbitragens! 

Rui Vitoria é um excelente treinador, evidenciou-se na época passada no Paços de Ferreira equipa que colocou a praticar um futebol de excelência coletiva. Só FC Porto e Benfica estiveram acima da equipa dos castores. 

Sabendo que o Benfica é uma equipa com vocação atacante, que tem óptimos executantes, aos quais não se pode conceder, nem tempo, nem espaço para elaborar lances de ataque, Rui Vitória montou a equipa de forma a ocupar o espaço de dois dos três terços do campo. O intermédio e o defensivo. Procurou reduzir essas zonas, para anular a estrutura encarnada.

É verdade que quando o Benfica tinha a bola, essa estratégia de colocar nove elementos a defender, complicou e tirou clarividência ao jogo ofensivo dos encarnados. Mas só em parte porque apesar dessa aglutinação, o Benfica criou quatro oportunidades flagrantes para marcar.

Perante esta organização defensiva os jogadores do Benfica não responderam adequadamente. Exigia-se maior amplitude, mais jogo pelos corredores laterais, só Maxi Pereira o fez. Bruno César muito irregular. Gaitan inflectiu demasiado. Outras das razões da ausência do futebol fluido, foi que Saviola não é Aimar, e faltou clarividência a Witsel, o qual realizou a pior exibição desde que está no Benfica. 

Rui Vitória também insinuou que alguma coisa não funciona no Benfica, referindo-se que as águias têm dificuldade em defender. Contudo não conseguiu que os seus jogadores explorassem essa lacuna, nem criassem jogadas de perigo, nem gerassem lances coletivos de contra ataque. Aliás o golo nasceu num passe de Nilson que neste jogo foi o melhor servidor dos avançados. 

Rui Vitória disse que errou. Ele lá sabe. Mas analisando o que se passou talvez devesse colocar em campo mais cedo Nuno Assis? Os treinadores não jogam. Preparam planos que por vezes os jogadores não conseguem cumprir. Se o Benfica errou, não foi por intenção de Jesus, mas sim porque alguns jogadores não estiveram inspirados. Se o árbitro errou? Também! 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.