A direção do Trofense, equipa do Campeonato de Portugal e que na época 2008/09 jogou a I Liga de futebol, admitiu hoje que o "futuro administrativo e desportivo do clube" está "em causa" devido a dificuldades financeiras.

Num comunicado publicado nas redes sociais, a direção fala em receitas "a desaparecer gradualmente" e "apoio de empresas manifestamente insuficiente", reconhecendo que tem salários em atraso, bem como falhas nos compromissos assumidos no âmbito no Plano de Recuperação do clube, instrumento homologado pelo Tribunal de Santo Tirso no início de 2014.

"O clube enfrenta vários processos por incumprimento do plano de recuperação autorizado pelo tribunal, que ainda aumentam as dificuldades para aceder às receitas. A situação atual é de tal forma caótica, que ao dia de hoje, não há soluções de tesouraria para as necessidades básicas", lê-se na nota do Trofense.

A direção revela estar a trabalhar para "encontrar soluções e ferramentas na lei que permitam ao clube manter-se em atividade", mas admite que "não está em condições de assegurar que o Departamento de Formação e o Departamento de Futebol Sénior tenham condições para chegar ao final da época com as suas atividades".

Atualmente, a equipa principal do Trofense segue em sexto lugar da Série B do Campeonato de Portugal, estando agendado para domingo um jogo na casa da Oliveirense, a contar para a 14.ª jornada desta prova.

Segundo o comunicado - que serve, vincam os responsáveis, para "apelar a todas as pessoas e entidades da Trofa a sua cooperação" - os jogadores, equipa técnica e departamento médico encontram-se com subsídios e ajudas de custo em atraso referentes a três meses.

A esta situação soma-se o facto de os elementos que transitam da época 2014/15 terem também vencimentos em atraso.

Quanto aos restantes funcionários, a direção do Trofense admite que estes têm cinco meses de salários em atraso.

O facto do emblema trofense não conseguir, por estar em incumprimento com o Plano de Recuperação, assinar com a câmara da Trofa o contrato programa de 2015 também "agrava drasticamente a situação e coloca o futuro das camadas jovens em risco".

"A direção do clube reconhece que as extremas dificuldades do clube afetam de forma decisiva as vidas de todo o grupo de trabalho do plantel sénior e todos os funcionários, bem como de todas as suas famílias, mas nunca em momento algum, registou-se a alteração da entrega, disponibilidade e profissionalismo que os mesmos têm sido capazes, de forma séria e digna, revelar e servir o clube", vinca a nota.

A agência Lusa contactou dirigentes do Trofense que remeteram para o comunicado, vincando apenas o sentimento de "impotência" e usando a palavra "tempestade" para reforçar o "apelo" à comunidade deste concelho do distrito do Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.