O governo angolano, por via do Ministério da Juventude e Desportos de Angola, disse esta segunda-feira, em Luanda, que o levantamento da suspensão da Confederação Africana de Futebol (CAF) aos estádios angolanos depende da Federação Angolana de Futebol.

A ministra da referida instituição, Ana Paula do Sacramento Neto, referiu que, após o jogo entre as seleções de Angola e Egito, para o Mundial Qatar2022, em 12 de novembro, em Luanda, a Federação Angolana de Futebol deve interagir com a CAF a fim de permitir que os clubes angolanos possam competir nos mesmos estádios para as competições africanas.

Explicou ainda que os estádios 11 de Novembro, em Luanda, Ombaka, na província angolana de Benguela, e Tundavala, na província angolana da Huila, reprovados pelo órgão reitor do futebol africano receberam recentemente obras de melhorias, antes mesmo da decisão de interdição.

A ministra angolana lamentou ainda o fato de apenas ter recebido esta segunda-feira o documento de interdição da CAF, datado de 29 de outubro último.

Com esta decisão, os referidos recintos ficam proibidos de receber jogos internacionais, a nível de seleções e clubes, até que se melhorem as infraestruturas construídas de raiz em 2010, por altura do Campeonato Africano das Nações acolhido por Angola, no mesmo ano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.