A FIFA não deu razão ao Athletico Paranaense na queixa apresentada contra o Benfica por alegado assédio ao avançado Vinícius Jaú, que assinou pelos encarnados em 2016.

O clube brasileiro exigia uma indemnização de 30 milhões de euros às 'águias' e ainda pode recorrer da decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto.

"A decisão é importante para o futebol de base, pois mostra a linha que a FIFA deverá seguir em casos envolvendo transferências de atletas sob contrato de formação. Mas não chego a comemorar o resultado, pois lamento que, na época, o atleta e o Athletico não tenham chegado a um acordo sobre o tema envolvendo o primeiro contrato profissional", explicou o empresário Naor Malaquias ao jornal brasileiro Gazeta do Povo.

Vinícius Jaú rescindiu com o Athletico Paranaense em 2016, quando tinha 18 anos, alegando assédio moral e garantindo que estava a ser forçado a assinar um vínculo. Meses depois, o jogador acabaria por assinar pelo Benfica, onde atualmente representa a equipa B e os sub-23.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.