A história escrita diante do Nordsjaelland não se repetiu esta noite com o Brondby e os dinamarqueses conseguiram mesmo surpreender o leão em pleno estádio de Alvalade, com uma demonstração de frieza e inteligências sem paralelo no Sporting.

Kristiansen, aos 43’, e Jallow, aos 52’, fizeram os golos que gelaram o ambiente em Alvalade, que se preencheu hoje com 20057 espectadores.

A vontade evidenciada pelos jogadores de Paulo Sérgio não teve expressão real em golos, como pedira o treinador do Sporting antes do desafio. Depois do desaire com o Paços de Ferreira na estreia da Liga, os leões deixaram Polga de fora e surgiu André Santos no onze, recuando assim Carriço para a defesa, onde fez dupla com Nuno André Coelho.

Contudo, a troca não trouxe maior dinamismo. De facto, o meio-campo leonino acusou falta de tranquilidade e de ideias, gerando muitas bolas perdidas e bem exploradas pelo Brondby.

Confirmando os piores receios leoninos – são mesmo superiores aos compatriotas do Nordsjaelland -, os dinamarqueses do Brondby deram uma lição de contra-ataque bem escudada por um guardião inspirado, Andersen. O primeiro balde de água fria surgiu aos 43 minutos, com um belo remate em jeito e de fora da área de Kristiansen.

O intervalo chegou com os leões em desvantagem e trouxe também os assobios dos adeptos, que cresceram de tom com o segundo golo do Brondby. Aos 52’ Kristiansen tenta a sua sorte de longe, Rui Patrício não consegue segurar e Jallow aparece isolado para fazer a recarga certeira, deixando a nu as fragilidades defensivas do Sporting.

Curiosamente, foi a perder que os leões despertaram e começaram a criar perigo. Entre os 64 e os 68 minutos, Liedson e Nuno André Coelho desperdiçaram várias ocasiões, com o azar a bater à porta do Sporting, face à bola ao poste do Levezinho, e a inspiração de Andersen na baliza.

No entanto, os leões também têm algumas queixas do árbitro austríaco Robert Schörgenhofer a não sancionar um lance que deixa a impressão de penálti, com um derrube a João Pereira na área dinamarquesa.

Depois deste período, o Sporting começou a perder o fulgor e nem as apostas em Yannick, Vukcevic e Saleiro foram capazes de contrariar o destino traçado ao Sporting por um Brondby eficaz e muito personalizado. O Sporting deixa Alvalade com a vida difícil para chegar à Liga Europa e ensombrado por um enorme coro de assobios.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.