A FIFA apresentou o relatório anual sobre 'Intermediários em Transferências Internacionais de 2019', no qual é revelado que os clubes portugueses pagaram até ao momento, este ano, em comissões a intermediários um total de 78,1 milhões de dólares (70,4 milhões de euros), quase metade dos 181,9 milhões de dólares (164,2 milhões de euros) que gastaram na contratação de jogadores.

De acordo com o relatório, 80,1% dos gastos com comissões pagas a intermediários ao longo de 2019 são da responsabilidade de clubes de apenas seis países, entre eles Portugal. Os outros cinco são Itália, Inglaterra, Alemanha, Espanha e França.

No relatório, a FIFA assume-se como responsável por criar um ambiente regulado e justo no futebol no que toca ao mercado de transferências, de forma a assegurar que estas se desenrolam de forma íntegra e transparente. De acordo com o organismo, são por norma três as partes envolvidas nas negociações de uma transferência: o jogador, o clube que pretende contratar e - se o jogador não se encontrar contratualmente livre - o clube que detém os direitos dos jogadores. Mas cada parte por optar por envolver um ou mais intermediários.

Quando uma transferência é concluída de acordo com o Sistema de Transferências Internacionais da FIFA (ITMS), os clubes são obrigados a oferecer informações sobre os intermediários envolvidos e as respetivas comissões. É com esses dados que o órgão máximo do futebol mundial apresenta agora este relatório.

O mesmo mostra que em 2019 foram já registadas no sistema 17,896 transferências internacionais de futebolistas do sexo masculino. Dessas, 3,558 (19.9%) envolveram pelo menos um intermediário e resultaram no pagamento de 653,9 milhões de dólares ( 590,2 milhões de euros) em comissões. Ao todo, 490 dos 4,161 clubes envolvidos em transferências internacionais e 2,490 dos 15,366 jogadores transferidos contaram com pelo menos um representante nas negociações.

Portugal é quarto em termos de comissões pagas a intermediários

Em Portugal, 15,9% das contratações de jogadores contaram com o envolvimento de intermediários, um registo bem abaixo dos 40,5% registados neste parâmetro em Itália. Já em termos de vendas, 13,1% das transferências internacionais envolvendo jogadores de clubes portugueses registadas no ITMS tiveram a presença de pelo menos um intermediário. Trata-se da quarta maior percentagem em termos mundiais, apenas superada na Sérvia, em Itália e na França.

No que toca a gastos de clubes com comissões pagas a intermediários, Portugal surge no quarto lugar entre todas as federações, atrás de Itália, Inglaterra, e Alemanha, mas à frente de países como Espanha, França ou Rússia. Ao todo foram 78,1 milhões de dólares (70,4 milhões de euros) pagos a intermediários pelas formações portugueses: 32,1 milhões de dólares (29 milhões de euros) na aquisição de futebolistas e 46,1 milhões de dólares (41,6 milhões de euros) na venda de atletas.

Gastos com intermediários 2019 - 10 primeiras federações
Gastos com intermediários 2019 - 10 primeiras federações

Relatório mostra que transferências também já 'mexem' no futebol feminino em Portugal

Também no futebol feminino Portugal merece referência no relatório agora apresentado pela FIFA. Das 51 transferências envolvendo intermediários registadas no sistema de transferências do organismo, 15 envolveram clubes portugueses. Só os clubes ingleses chegam ao mesmo número, com França (9) e Alemanha (6), tradicionais potências desta vertente da modalidade, a ficarem bem abaixo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.