John W. Henry, proprietário do Liverpool, um dos seis clubes ingleses que anunciaram a saída da Superliga Europeia na noite de terça-feira, pediu desculpas publicamente aos adeptos, ao treinador, jogadores e staff do clube pelo "caos causado nas últimas 48 horas".

"Quero pedir desculpa a todos os fãs do Liverpool pelo caos causado nas últimas 48 horas. O projeto não iria prosseguir sem o apoio dos adeptos. Nestas 48 horas, ouvimos-vos e percebemos que não o querem. Quero pedir desculpa ao Jurgen [Klopp] e aos jogadores. A todos os que trabalham arduamente para que o Liverpool e os seus adeptos se orgulhem. Não têm qualquer responsabilidade por isto. Isto é o que mais me dói. Trabalhamos para que se sintam orgulhosos do clube todos os dias", começou por assinalar John W. Henry.

"Sei que toda a equipa do Liverpool precisa de recuperar a sua confiança para poder seguir em frente. (...) É meu dever, depois de vos ter dececionado, pedir desculpa e assumir a responsabilidade por este processo negativo e desnecessário das últimas 48 horas. É algo que não vou esquecer e que mostra o poder que os adeptos têm hoje em dia e continuarão a ter. Esta situação pandémica está a mostrar-nos como os adeptos são cruciais em todos os desportos. Vê-se isso em todos os estádios vazios. Tem sido um ano realmente difícil para todos, estamos todos a ser afetados. É importante que a família Liverpool esteja unida face a este desafio global. Farei tudo o que estiver ao meu alcance para que isso aconteça. Muito obrigado", rematou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.