Goodison Park assistiu a a uma primeira parte equilibrada e pertenceu mesmo ao Sporting o controlo dos primeiros minutos de jogo.

Bem organizado defensivamente, o Sporting conseguiu segurar o Everton e espreitava sempre que possível o ataque, mas sem incomodar grandemente Tim Howard.

Os comandos de David Moyes pegaram então no jogo, como lhes competia a jogar em casa, e aos 11’ Rui Patrício brilhou e impediu que os ingleses se colocasse bem cedo em vantagem.

O guarda-redes leonino fez bem a mancha ao primeiro remate de Saha e parou em grande estilo a recarga de Osman.

Era o primeiro sinal de perigo dos ingleses, que aos 16’ dispuseram de nova oportunidade, desta feita desperdiçada pelo australiano Cahill que saltou mais alto e cabeceou sozinho após marcação de um canto.

Nesta fase do jogo, o Everton apoderou-se definitivamente do controlo do jogo e o Sporting recuou as suas linhas, talvez em demasia, abdicando quase da reacção atacante.

E foi nesta fase que os Tofees aproveitaram então para materializar a sua superioridade. Cahill surge isolado perante Rui Patrício e perante a impossibilidade de alvejar com sucesso a baliza de Rui Patrício deu de calcanhar para trás onde apareceu Pienaar a facturar.

O Sporting reagiu de imediato e podia ter feito o empate antes do intervalo, com a melhor oportunidade a pertencer a Izmailov, com um remate a embater com estrondo no poste.

A primeira parte chega ao fim com 1-0 no placar e com a sensação de que um Sporting mais atrevido na segunda parte pode trazer um resultado positivo para a segunda mão em Alvalade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.