A família do futebolista argentino Emiliano Sala, que morreu em janeiro de 2019 vítima de um acidente de avião no Canal da Mancha, entrou hoje com uma ação judicial contra os clubes Cardiff City e Nantes.

O avançado morreu em 21 de janeiro de 2019, com 28 anos, quando o avião que o transportava, pilotado pelo britânico David Ibbotson, caiu no Canal da Mancha, numa altura em que o jogador se encontrava em trânsito dos franceses do Nantes para o País de Gales, para assinar pelo Cardiff City.

Segundo os advogados da família, esta decisão foi tomada para "proteger os seus interesses", embora o processo não se inicie até que seja julgado o piloto David Henderson, que deveria ter transportado Sala, mas acabou por delegar o serviço a David Ibbotson, de 59 anos, cujo corpo nunca foi encontrado, ao contrário do corpo do jogador, que foi recuperado do avião no Canal da Mancha, a uma profundidade de 67 metros.

Uma primeira investigação determinou que o avião caiu no mar, após sofrer um problema técnico por voar mais rápido do que poderia, sendo que o piloto David Ibbotson pode ter sido contaminado com dióxido de carbono durante a queda.

Em 26 de outubro de 2020, David Henderson declarou-se “não culpado”, em depoimento perante o tribunal de Cardiff, visto que é acusado de ter agido de forma “descuidada e negligente” no acidente.

A ação legal contra Henderson, de 66 anos, partiu da Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.