A FIFA está a estudar formas de evitar potenciais conflitos com a abertura do próximo mercado de transferências nos vários países, diferentes esta época devido a pandemia de COVID-19. O organismo que rege o futebol mundial tinha avançado com a possibilidade de se alargar o contratos dos jogadores para lá de 30 junho, medida que tinha por objetivo impedir a saída de atletas cujos vínculos com os clubes acaba no último dia de junho.

No entanto, essa medida podia chocar com o direito laboral e a vontade dos jogadores e clubes, já que alguns atletas e emblemas podiam não aceitar de bom grado esta solução.

Diz o jornal espanhol 'Marca' que a FIFA quer colocar uma data comum para a abertura do mercado em cada continente, de forma a evitar potenciais conflitos entre clubes.

Esta medida é sustentada pelo facto de algumas ligas só terminarem no início de agosto, como a italiana, ao passo que outras já estão encerradas, como são os casos de França, Holanda, Bélgica e Escócia. Aliás, época 2020/2021 da Liga Francesa deverá arrancar na segunda semana de agosto.

Este descontrole sobre datas para finalizar a época atual e começar a seguinte, levou a FIFA a querer introduzir um início uniforme do mercado de transferências, ou então coordenar os mesmos nos vários países, de modo a evitar que alguns clubes estejam a contratar para a próxima época enquanto outros tentam terminar esta.

Outro dado tem a ver com as transferências aprazadas ou que podem ser feitas por esta altura: os jogadores contratados só receberão ordem de se juntar ao seu novo clube quando o campeonato deste clube for finalizado. É o caso de vários jogadores que terminam contrato no dia 31 de junho e que já comunicaram aos respetivos clubes que não pretendem continuar a jogar.

Outra dificuldade prende-se com as provas de clubes da UEFA desta época que só deverão ficar concluídas em agosto. Os clubes terão de convencer os seus atletas que terminam contrato em finais de junho a permanecer no plantel, pelo menos até finalizar esta temporada.

Se um clube contratar um jogador, o mesmo só poderá ser inscrito quando terminar a época atual, em agosto, para os emblemas que ainda estão na Liga dos Campeões e Liga Europa. Só os jogadores que estavam inscritos nas provas da UEFA em fevereiro poderão ser utilizados no que resta da 'Champions' e Liga Europa.

Se os franceses do Lyon, que ainda estão na Liga dos Campeões, contratarem algum jogador para a época 2020/2021, que em França arranca na segunda semana de agosto, só deverão utilizar o mesmo nas provas da UEFA da próxima época, ou seja, quando arrancar a 'Champions' de 2020/21.

De recordar que o Lyon está, neste momento, fora das competições Europeias por ter terminado em 7.º a Liga Francesa, pelo que só se vencer a Liga dos Campeões, está nas provas da UEFA na próxima temporada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.