Olivier Giroud, avançado internacional francês, considera que ainda há um trabalho muito grande a ser feito no futebol até que um jogador se possa assumir publicamente como homossexual.

"É impossível assumir a homossexualidade no futebol. Num balneário, há muita testosterona, quartos, chuveiros coletivos...é complicado, mas é assim. Entendo a dor e a dificuldade das pessoas que assumem e sou ultra tolerante. Ainda há muito trabalho no mundo do futebol sobre isto, no mínimo", sublinhou em entrevista ao jornal 'Le Figaro'.

O jogador de 32 anos, que trocou o Arsenal pelo Chelsea em janeiro deste ano, contou o que sentiu na primeira vez que treinou ao lado de Hazard.

"Disse para mim: 'Porra, é difícil tirar-lhe a bola'. Às vezes, tem dois ou três jogadores atrás dele e mesmo assim conseguem sair a jogar em espaços curtos. É um mágico, é impressionante", atirou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.