O treinador do Flamengo, Jorge Jesus, admitiu hoje que mantém o objetivo de regressar ao futebol português, mas que o sucesso alcançado no Brasil torna agora "mais difícil" esse regresso.

"Vou regressar. Não sei quando, mas está mais difícil o meu regresso a Portugal", afirmou o técnico português, de 65 anos, em declarações após a cerimónia no Palácio de Belém na qual recebeu das mãos do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Ordem do Infante D. Henrique.

Salientando a existência de um contrato válido com o Flamengo até junho e o apreço que encontrou entre os adeptos do clube do Rio de Janeiro, Jorge Jesus destacou igualmente a importância do "consenso" e do "carinho" alcançado entre os portugueses com esta experiência além-fronteiras.

"Se alguma vitória importante conseguimos no Brasil, talvez essa foi a mais importante: a de o povo português se associar a nós", frisou.

Numa cerimónia na qual estiveram presentes os presidentes de Benfica, Sporting e Sporting de Braga, além dos líderes da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Jorge Jesus revelou ter ainda convidado o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, (que não compareceu por estar doente) para dar expressão à vontade de unir o futebol português.

"Não poderia ter todos [os presidentes de clubes] aqui, mas sei que chegámos onde chegámos com a ajuda de muita gente. Procurei convidar aqueles que estavam mais perto de Lisboa, bem como todas as referências do futebol português. Quis associar a minha condecoração a eles, porque sem eles, se calhar, não estaria aqui", declarou, apelando também à pacificação do clima entre os principais clubes no futebol nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.