O plantel do Sporting da Covilhã vai assistir na quarta-feira à inauguração da iluminação do seu estádio, durante o encontro entre as seleções sub-20 de Portugal e Cabo Verde, mas nem todos vão torcer pela mesma equipa.

Para os avançados Kisley e Kukula, ambos internacionais cabo-verdianos, "este vai ser um jogo especial", por poderem receber no Estádio Santos Pinto os jovens 'tubarões azuis', a quem querem fazer sentir o seu apoio.

"É bom receber os nossos compatriotas aqui em casa e vamos fazer questão de os apoiar. Ser no estádio onde jogo, que é a nossa casa, e receber a minha seleção, é um prazer. Quero estar com os compatriotas e dar-lhes moral", realça Kisley, atacante de 28 anos, em declarações à agência Lusa.

Ao lado conta estar o compatriota Kukula, chegado ao emblema da II Liga de futebol neste 'mercado de inverno'. Dos convocados por Lito Aguiar, o ponta de lança de 26 anos apenas conhece um jogador, que alinhou ao lado do irmão, mas diz esperar um dia de emoções.

"Vai ser ótimo. É o meu país e quero estar a apoiar. Vai ser um dia especial, ao poder ver as promessas do nosso futebol. O meu apoio não vai faltar", assegura Kukula.

Embora a Covilhã já tenha recebido vários jogos das seleções nacionais, incluindo um entre as formações principais de Portugal e Cabo Verde, no Complexo Desportivo da cidade, é a primeira vez que tal acontece no Estádio Santos Pinto, casa dos serranos, o que entusiasma o capitão dos 'leões da serra'.

"É um orgulho receber aqui uma das nossas seleções. Quem sabe a seleção A possa voltar, para jogar desta vez no [Estádio] Santos Pinto. Seria muito bom para a cidade", frisa Gilberto, que vai estar na bancada a torcer pelas cores lusas.

Gilberto espera ser também uma oportunidade de no futuro jogar no recinto à noite. Especialmente em partidas durante a semana, na expectativa de atrair mais adeptos.

"Com as condições anteriores era impensável jogar à noite. Pode ser uma forma de as pessoas, depois do trabalho, poderem ir ver o Covilhã jogar e termos mais adeptos", acrescenta o médio.

A primeira iluminação do Estádio Santos Pinto foi inaugurada em 2001, num encontro particular entre o Sporting da Covilhã e o Penafiel (3-2), mas era insuficiente para jogos oficiais e servia para os treinos das camadas jovens.

Luciano, treinador de guarda-redes dos serranos, era o guardião dos 'leões da serra' e lembra-se da mobilização da população em torno do acontecimento, "numa altura em que mais gente ia ao futebol", e da novidade que foi fazer um jogo no recinto onde a equipa começou a disputar os seus encontros em 1935.

"É de louvar aquilo em que o Santos Pinto está a ser transformado. É um orgulho imenso olhar para este estádio como está neste momento", enfatiza, à agência Lusa, o antigo guarda-redes, há mais de 20 anos no clube.

Desse primeiro jogo recorda-se da iluminação abaixo do recomendável e do posicionamento dos holofotes, que lhe dificultaram a ação.

"Principalmente nas bolas paradas, nos cantos, recordo-me que tive muita dificuldade, porque encadeava. Não era fácil jogar lá com a iluminação anterior", recorda Luciano, que na quarta-feira reencontra na Covilhã Hélio Sousa, de quem foi adjunto na temporada que o seleccionador dos sub-20 de Portugal treinou os 'leões da serra'.

As seleções de futebol de sub-20 de Portugal e Cabo Verde defrontam-se às 17:00 de quarta-feira, no campo do Sporting da Covilhã, num encontro de preparação para o Mundial 2019, que se disputa na Polónia, entre 23 de maio e 15 de junho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.