O treinador de futebol do Real Madrid, o português José Mourinho, disse esta sexta-feira que recorreu do castigo que lhe foi aplicado pela UEFA para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) por ter, como cidadão, direito a defender-se.

Em entrevista ao programa “El Larguero” da Cadena Ser, José Mourinho disse que não vê a vida como «uma rua de apenas uma direcção na qual apenas se pode ir em frente».

«Como cidadão, creio que tenho direito a não esquecer e recorrer a um tribunal com características democráticas. Por isso, irei ao TAS, porque como cidadão tenho direito a defesa. E se não é suficiente ser cidadão, José Mourinho é também bicampeão da Europa, o primeiro a ganhar a Bola de Ouro FIFA para treinadores e ganhou quatro taças em outros tantos países», referiu.

Mourinho considera que foi injustiçado, porque foi «sancionado sem saber porquê», considerando que é «um caso único», por ter sido «denunciado, sem saber porquê e, depois de um mês, não ter direito» a defender-se.

O treinador luso foi castigado por cinco encontros – um pela expulsão e um de pena suspensa -, depois das suas declarações no final do encontro com o FC Barcelona, da primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões.

Para Mourinho, este castigo é o único ponto negativo de uma temporada «muito boa», assegurando que não ficou magoado por a denúncia ter sido feita pelo FC Barcelona.

«Não tenho absolutamente nada contra a instituição, nem contra as pessoas do FC Barcelona. Estive lá entre 1996 e 2000, e nestes últimos 11 anos as pessoas e as instituições mudam», sublinhou.

Sobre Josep Guardiola, treinador dos “blaugranas”, Mourinho reconhece que é «uma pessoa diferente» do que era há 10 anos, que não conhece bem, porque o «conhecia como jogador, embora já visse nele um futuro treinador».

Em relação à nova temporada, Mourinho quer melhorar, embora reconheça que «não é fácil, porque significa voltar a ganhar a Taça do Rei, ganhar a Liga e chegar à final da Liga dos Campeões».

Mourinho aproveitou para desejar «o melhor» a Jorge Valdano, antigo director-geral do clube, garantindo que «o Real Madrid procura simplesmente um modelo diferente de organização e uma nova dinâmica».

Sobre a possibilidade de o Real Madrid contratar o argentino Sérgio Aguero, do Atlético de Madrid, Mourinho considerou que o avançado «é um jogador fantástico».

«Mas é jogador do Atlético de Madrid e o Real Madrid não fala com jogadores antes de chegar a acordo com os clubes», frisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.