Nuno Espírito Santo tem referido inúmeras vezes que quer a equipa a jogar à Porto. Que quer jogadores com ADN Porto e que só estes serão capazes de devolver a glória ao FC Porto. E até usou uma conferência de imprensa para mostrar, num desenho, as suas ideias para o FC Porto. Esqueceu-se de referir que se a bola não entra, não há ADN de nada. Porque o futebol vive de golos e ninguém chega a campeão a desperdiçar golos feitos. Foi o que fez o FC Porto na noite deste sábado em Setúbal, ao empatar 0-0 com o Vitória e deixar o Benfica fugir na liderança, já com cinco pontos de vantagem. Só estamos na 9.ª jornada mas já quer dizer qualquer coisa

O jogo

Se a história jogasse, o FC Porto nem precisaria de entrar em campo frente ao Setúbal. As 16 vitórias seguidas no Bonfim (em 68 jogos, 37 vitórias do FC Porto contra 16 do adversário. Houve 15 empates no Bonfim) davam alguma margem de conforto, num FC Porto que vinha de quatro vitórias seguidas. A equipa de Nuno Espírito Santo tentava não deixar fugir o Benfica, ao mesmo tempo que podia aproveitar para aumentar a distância para o Sporting, 3.º colocado, depois do empate dos ´leões` com o Nacional.

Mas o FC Porto que se viu no Bonfim só mostrou ´meio ADN` à Porto. Circulação lenta, precipitação no último passe, pouca presença na área, dificuldades em criar situações de golo. É verdade que a defender a equipa esteve quase sempre segura, principalmente no primeiro tempo mas apenas dispôs de quatro claras oportunidades de golo, duas em cada lado. Óliver desperdiçou a primeira aos 25 após contra-ataque. Diego Jota falhou o segundo aos 30, num remate de cabeça ao lado, André Silva aos 49 em novo remate de cabeça, para fora e Diego Jota, outra vez, aos 55, num remate de cabeça á queima-roupa que Bruno Varela defendeu. Pelo meio Fábio Cardoso introduziu a bola na baliza de Casillas no segundo tempo mas o árbitro assinalou, e bem, fora-de-jogo. E Otávio caiu na área aos 85, num lance com Vasco Fernandes: pediu penálti, o árbitro deu-lhe... amarelo.

Com o jogo a não alterar-se e com o FC Porto a ter poucas hipóteses de marcar, Nuno teve de ir ao banco mas saiu a perder, ao contrário de Couceiro. Tirou o apagado Herrera (ninguém consegue perceber a baixa de forma do mexicano), retirou o criativo Oliver e o avançado Jota para meter dois extremos, Brahimi e Corona, e mais um médio. Pouco risco. Perdeu porque Corona e Brahimi não acrescentaram nada e não tiveram qualquer lance de destaque. Já Couceiro conseguiu estender o jogo do Setúbal e criar mais perigo com a entrada do veloz Arnold, que deu muitas de cabeça.

Nuno pode queixar-se da falta de eficácia mas quem luta pelo título tem de mostrar muito mais. E tem de dizer aos jovens da frente que a bola não tem sempre de circular entre eles. Muitos lances perdem nos pés de André Silva e Diogo Jota porque procuram muito um ao outro. E é preciso explicar que quando surgem oportunidades em jogos complicados como estes, a bola tem de entrar. Porque o ADN constrói-se assim: com vitórias.

Momento-chave: Varela nega o golo a Diogo Jota

O FC Porto tinha voltado para a segunda parte com outras intenções: mais pressionante, mais rápido, mais perigoso. Os primeiros 10 minutos foram de grande sufoco mas...golo que é bom... nada. E muito por culpa de Bruno Varela. O guarda-redes que tinha sido o principal responsável pelo empate dos sadinos na Luz nas primeiras rondas evitou o golo portista aos 55 com uma defesa por instinto, a cabeceamento de Diogo Jota.

A polémica: Otávio pede penálti, árbitro dá-lhe... amarelo

Corria o minuto 85, numa altura em que o FC Porto jogava mais com o coração do que com a cabeça. Otávio entrou na área, disputou a bola com Vasco Fernandes e caiu. O defesa esticou a perna e bateu na canela do médio brasileiro, o árbitro entendeu que foi simulação e mostrou-lhe amarelo. Lance que vai dar muito que falar.

Os melhores

Bruno Varela: com um punhado de defesas, foi evitando o golo do FC Porto nas vezes em que defesa sadina foi batida. Foi o melhor em campo.

Defensiva sadina: a forma como o Setúbal condicionou o jogo do FC Porto é de elogiar. Equipa unida, muita interajuda e uma entrega total.

Leitura de jogo de Couceiro: quando sentiu que o FC Porto ia ´carregar`, ´prendeu` os centrais contrários com a entrada de Arnold. Setúbal melhorou ofensivamente

Os piores

Diogo Jota: continua a mostrar-se muito perdulário. Desde o hat-trick na Choupana que não voltou a marcar. Tem desperdiçado muitas oportunidades.

Herrera: sempre que NES quer mexer na equipa, Herrera é um dos primeiros a sair. O mexicano continua em baixo de forma e pouco ou nada dá à equipa.

Nuno a mexer na equipa: Numa altura em que o FC Porto ia ´carregar` no acelerador, o jogo pedia um ´pinheiro`. Depoitre podia ser a solução mas Nuno optou por Corona e Brahimi, dois jogadores que se agarram muito a bola, que procuram quase sempre o um-para-um e que estão uns furos abaixo do que podem mostrar.

Reações

Nuno: "Ficamos dois pontos mais longe de onde queríamos estar"

Couceiro: "Arbitragem? ´Três grandes` não têm as razões de queixa que nós temos"

Bruno Varela: "Defesas? Importante é que a bola não entre"

Curiosidades

O V. Setúbal pontua frente ao FC Porto, 28 jogos e onze anos depois. Em 2005 Luís Norton de Matos empatou (0-0) no Dragão. Já no Bonfim, o Setúbal não pontuava desde 1997/98 quando empatou 1-1, com golos de Amaral (47') e Mário Jardel (74').

O V. Setúbal está há seis jogos consecutivos sem marcar qualquer golo ao FC Porto. É o pior registo da história do clube frente aos Dragões.

O V. Setúbal conquistou dois dos dez pontos somados até ao momento frente ao Benfica (na Luz) e ao FC Porto (no Bonfim).

Desde que a vitória vale três pontos (95/96), esta é a maior diferença pontual do FC Porto para o Benfica (cinco pontos) à 9.ª jornada. Há 41 anos que o Benfica não tinha uma diferença tão grande para o FC Porto à 9.ª jornada (1975/76).

É a pior pontuação do FC Porto à 9.ª jornada (20 pontos) desde 2009/10, quando Jesualdo Ferreira era treinador dos Dragões.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.