A pandemia de COVID-19 provocou estragos nunca antes visto no futebol. Mais de 99 por cento das provas a volta do mundo foram interrompidas, outros grandes eventos como o Europeu de Futebol ou a Copa América foram adiados por um ano. Aos poucos, o futebol vai voltando mas com fortes medidas de segurança e um rigoroso protocolo sanitário.

As galas para as atribuições dos prémios individuais também foram suspensos, como o 'The Best' da FIFA, ou a gala da UEFA onde é atribuído o MVP das provas de clubes da Europa. Dos prémios individuais, só o Bota de Ouro sobreviveu: a prova que premeia o melhor marcador da Europa vai continuar  este ano.

Depois de muitas reuniões entre os seus membros, a European Sports Media (ESM) decidiu continuar com a cerimónia anual da Bota de Ouro, numa decisão nada fácil, como da conta o jornal espanhol 'Marca'.

Tal como nas anteriores época, a ESM não terá em conta os golos marcados em 'play-offs' de campeonatos que ainda se vão decidir. Só serão contabilizados os golos em ligas regulares. Por isso, não haverá a participação dos goleadores de países com Dinamarca, Grécia ou Gibraltar.

Assim, os goleadores das ligas que foram terminadas precocemente são os grandes prejudicados. São os casos de Kylian Mbappé (PSG) e Wissam Ben Yedder (Mónaco) - ambos somavam 18 golos e 36 pontos quando o Governo francês deu por terminada a temporada futebolística em França, quando faltam 10 jornadas para o final (11 no caso do PSG).

Com o regresso do futebol na Alemanha, Robert Lewandowski 'roubou' a liderança da Bota de Ouro a Ciro Immobile (Lazio). O atacante italiano soma 54 pontos (27 golos na Série A), mas o polaco do Bayern Munique já leva 60 pontos, fruto dos 30 golos que tem na Bundesliga. Quem também aproveitou bem o regresso da Liga Alemã foi Timo Werner, avançado do RB Leipzig que subiu ao terceiro posto com 50 pontos (25 golos).

Haaland, que já vinha a marcar na Liga Austríaca (onde um golo vale menos), manteve a sua veia goleadora no Borussia Dortmund, por isso aparece no 4.º posto desta luta, com 44 pontos, apesar de já ter 26 golos marcados esta época nas Ligas domésticas.

O português Cristiano Ronaldo pode estar longe dos lugares cimeiros mas deverá aproveitar o regresso da Série A para lançar a sua candidatura ao prémio. O craque da Juventus soma 42 pontos, fruto dos seus 21 golos na prova. CR7 está à frente de Messi, que soma 19 golos na Liga Espanhola (38 pontos). Jamie Vardy, do Leicester, tem os mesmos pontos do astro do Barcelona.

Tanto Messi como Cristiano Ronaldo tem tempo para recuperarem. Os dois 'monstros' do futebol atual venceram nove das 10 últimas edições da Bota de Ouro (seis para Messi e três para Cristiano Ronaldo). Apenas Luis Suárez intrometeu-se nessa luta (venceu em 2015-2016 com jogador do Barça e em 2013-2014 ficou empatado com Ronaldo, com 31 golos).

Assim está a luta pela Bota de Ouro

Robert Lewandowski (Bayern) 30 golos x 2 = 60 pontos

Ciro Immobile (Lazio) 27 x 2 = 54

Timo Werner (RasenBallsport Leipzig) 25 x 2 = 50

Erling Braut Haaland (Red Bull Salzburg/Borussia Dortmund) 16 x 1,5 + 10 x 2 = 44

Cristiano Ronaldo (Juventus) 21 x 2 = 42

Lionel Messi (FC Barcelona) 19 x 2 = 38

Jamie Vardy (Leicester City) 19 x 2 = 38

Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain) 18 x 2 = 36

Wissam Ben Yedder (AS Monaco) 18 x 2 = 36

Shon Weissman (Wolfsberger AC) 23 x 1,5 = 34,5

Pierre-Emerick Aubameyang (Arsenal) 17 x 2 = 34

Romelu Lukaku (FC Internazionale Milano) 17 x 2 = 34

Jadon Sancho (Borussia Dortmund) 17 x 2 = 34

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.