O selecionador interino de Itália de futebol, Luigi di Biagio, disse hoje que o guarda-redes Gianluigi Buffon, que anunciou a retirada em novembro de 2017, será “provavelmente chamado” para os particulares de março, frente a Argentina e Inglaterra.

Buffon, de 40 anos, anunciou a retirada quando a Itália foi eliminada pela Suécia no ‘play-off’ de acesso ao Mundial2018, na Rússia, ao fim de 20 anos como internacional A e 175 jogos, o que o levou a ‘capitão’ da ‘squadra azzurra’.

“Não é justo que o seu último jogo seja com a Suécia, por isso sugeri que voltasse para um, dois ou até três jogos. Provavelmente, estará connosco em março”, explicou Di Biagio.

O técnico interino lembrou os bons nomes italianos para a baliza, de Gianluigi Donnarumma a Alex Meret ou Mattia Perin, mas “a história de ‘Gigi’ não pode parar no jogo da Suécia”.

Buffon, guarda-redes da Juventus, sagrou-se campeão do mundo em 2006 e esperava, este ano, tornar-se no primeiro jogador a participar em seis Mundiais, mas a Itália falhou a qualificação pela primeira vez desde 1958.

Di Biagio lembrou ainda, antes dos jogos com a Argentina, em 23 de março, em Manchester, e a Inglaterra, em Londres, no dia 27, que “nenhuma porta está fechada”, para veteranos como Giorgio Chiellini ou o ‘enfant terrible’ Mario Balotelli, mas Andrea Barzagli e Daniele de Rossi não vão voltar às escolhas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.