A casa de Ibraim Cassamá, futebolista e candidato à presidência do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), foi vandalizada, com a inscrição de expressões racistas, denunciou hoje a candidatura do médio do Real Massamá, no Instagram.

“Ibraim Cassamá, um homem de família, jogador de futebol e candidato às eleições do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol foi alvo deste vandalismo na sua casa de família”, lê-se na publicação na rede social, acompanhada por várias fotos, nas quais se podem ler expressões de teor racista escritas nos muros da casa.

A candidatura de Cassamá assegura que não irá compactuar “com este e outros atos que têm acontecido”, e garante que “na defesa do interesse da classe que representa (…) vai continuar a expressar as suas ideias, mesmo que isso represente coerção ou represálias, numa perspetiva de respeito por todos”.

A lista liderada pelo médio do Real Massamá, de 35 anos, garante que “a luta do Ibra foi até aqui, e será sempre, pela inclusão de todos e em tudo”.

Além de Ibraim Cassamá, que tem dupla nacionalidade (portuguesa e guineense) e é internacional pela Guiné-Bissau, avançaram com candidaturas à presidência do SJPF, Ana Filipa Lopes, futebolista do Condeixa, e Joaquim Evangelista, que lidera a estrutura desde 2005.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto