O Palmeiras acabou derrotado nas grandes penalidades na segunda mão da Supertaça sul-americana frente ao Defensa y Justicia da Argentina. Foi assim que Abel Ferreira analisou a partida.

"Infelizmente o jogo teve de ser realizado aqui, preferia que tivesse sido na nossa casa, no Allianz. Por circunstâncias que nos são alheias, não pudemos jogar em nossa casa, infelizmente. Sobre o jogo, do outro lado há uma equipa de qualidade, intensa, argentina, mas podemos estar aqui a dar as desculpas que quisermos. O que fica é o resultado, é o que conta. Estivemos a pouco menos de um minuto de levantar a taça e não fomos capazes de consegui-lo. Tivemos uma expulsão, são fatores que determinam o desenrolar do jogo. Tivemos um penálti e ficámos em vantagem, mas o futebol é isto. E no futebol, ainda mais no Brasil, temos de encontrar culpados e o culpado sou eu", referiu o técnico.

Recuperar a equipa depois das duas derrotas nas grandes penalidades

"Vai ser um desafio. Foram dois jogos que perdemos nos penáltis, com tudo para ganhar durante o tempo regulamentar. Temos que aguentar a dor, não há outra forma, temos que sofrer, que é o que sinto agora. Para perder é preciso chegar aqui. Esta equipa ganhou o Paulistão, não comigo, perdeu um Brasileirão porque era impossível com o calendário que tínhamos, ganhámos a Libertadores porque fomos à final, perdemos o Mundial de clubes, perdemos a Supertaça [do Brasil] porque fomos à final e perdemos a Recopa [Sul-americana] porque fomos à final. Vai ser um ano duro, mas é aguentar, suportar e seguir em frente", acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.